Política

Sinop: prefeita autoriza que restaurantes, lanchonetes retomem parcialmente atividades e reforçando medidas preventivas

A prefeita Rosana Martinelli acaba de anunciar, em pronunciamento direto de sua casa, pela internet, novo decreto com validade a partir desta segunda-feira mais medidas em relação ao combate ao Coronavírus e, na área econômica, e autoriza, a partir desta segunda-feira, que centenas de empresas que estavam fechadas possam voltar a funcionar incluindo restaurantes, lanchonetes, conveniências, padarias, bares, mercearias, desde que observadas as exigências sanitárias. Elas estavam com funcionamento suspenso há mais de duas semanas como medida para evitar aglomerações para prevenir contágio do Covid 19. Se houver permanência de pessoas no interior do estabelecimento, a exemplo dos restaurantes, bares, lanchonetes, limita-se a 50% de sua capacidade, incluindo-se a utilização de mesas e consumo no seu interior. Até agora, as empresas estavam funcionando com sistema delivery, de entrega em casa, mas tiveram queda expressiva no volume de vendas. Funcionários devem usar máscaras.

“É uma flexibilização parcial mas rigorosamente fiscalizada, atendendo pedidos dos empresários mas sempre priorizando as normas de segurança. Tem segmentos que flexibilizamos (anteriormente) e empresários estão correspondendo com responsabilidade. Diante de muitas análises tomamos essa decisão (de liberar mais empresas funcionarem). No pronunciamento, Rosana se emocionou ao falar da grande importância das empresas ficarem abertas e afastar riscos de desemprego. ” Vim de família humildade e sei o como é importante trabalhar” para “as pessoas terem seu emprego e renda para manter sua família A saúde é nossa prioridade mas também dou esse voto de confiança aos trabalhadores”. “Tenham cuidado, com uso de álcool gel, de máscara. Muitos ainda estão com sensação que não é perigo. Mas é !!”. Se nós cuidarmos, vamos ter menor quantidade de casos”. “Sigo confiando na responsabilidade dos nossos empresários e sua trabalhador em cumprir as regras de higiene. Estou muito preocupada com saúde e também com você que precisa trabalhar e ter sua renda”. “Quem é do grupo de risco tem que ficar em casa !”, reforçou.  Ela deixou claro que a medida pode ser revista caso a constatação das medidas preventivas não sejam respeitadas. “Deus está nos abençoando”, emendou, agradecendo empresários, entidades, voluntários que estão fazendo doações e ajudando em ações de prevenção.

As academias para prática de atividades físicas podem ser parcialmente reabertas, mas seguindo medidas preventivas. A decisão mantém em funcionamento empresas do comércio varejista da construção civil, empresas de construção civil, materiais de construção, tintas, materiais elétricos e afins, bem como produtos agropecuários, venda de insumos, medicamentos e produtos veterinários, academias e congêneres, feiras livres de pequenos produtores em ambiente aberto.

O decreto autoriza o funcionamento das empresas de borracharia, oficinas de manutenção, postos de molas, recapadoras e reparos mecânicos de veículos automotores.

Rosana esclareceu que essas empresas em geral não estão desobrigadas de cumprirem regras sanitárias para ampliar as frentes de prevenção ao Coronavírus, bem como respeitarem as medidas adicionais. As empresas devem ampliar, de forma geral, a frequência de limpeza de pisos, corrimãos, maçanetas e banheiros, reforçar as medidas de higienização dos ambientes internos e externos usando água sanitária ou cloro para desinfecção no máximo de três em três horas.

Também devem disponibilizar locais com água e sabão para lavar as mãos com frequência e disponibilização de álcool na concentração de 70% para funcionários e clientes, organizar equipe para orientação dos consumidores para efetiva higienização das mãos. Também é determinado que deve-se adotar medidas para impedir aglomerações como a manutenção de distância mínima de 2 metros quadrados, entre pessoas, bem como em mesas, no estabelecimento; evitar aglomerações ou filas internas e externas, adotando medidas se necessário, como a distribuição de senhas, continua uma obrigatoriedade às empresas. Quando possível, elas devem realizar atividades de forma remota mediante o uso de ferramentas tecnológicas.

Outra exigência é que se deve manter locais de circulação e áreas comuns com os sistemas de ar condicionados limpos (filtros e dutos) e, obrigatoriamente, manter pelo menos uma janela externa aberta ou qualquer outra abertura, contribuindo para a renovação de ar.

O decreto de hoje mantém o funcionamento das empresas pertencentes ao setor hoteleiro do município de Sinop, desde que adotas as providências como: realização dos processos internos preferencialmente em sistema home office, sendo que, na impossibilidade, deve ser respeitada a distância mínima de 2 metros entre os pontos de trabalho, devem disponibilizar na entrada e em outros lugares estratégicos de fácil acesso, álcool em gel para utilização de funcionários e clientes. Devem também higienizar, quando do início das atividades e após cada uso, durante o período de funcionamento, as superfícies de toque (carrinhos, cestos, cadeiras, maçanetas, corrimão, mesas e bancadas), preferencialmente com álcool em gel ou outro produto indicado pela OMS.

Também são obrigados a manter locais de circulação e áreas comuns com os sistemas de ar-condicionado limpos (filtros e dutos) e, obrigatoriamente, manter pelo menos uma janela externa aberta ou qualquer outra abertura, contribuindo para a renovação de ar, é uma exigência. As empresas também devem manter disponível kit completo para higiene de mãos nos sanitários de clientes e funcionários, bem como prezar, quando da ocorrência de filas, da distância mínima de 2 metros entre as pessoas. A decisão da prefeitura é que diariamente o setor hoteleiro deve relatar para a secretaria municipal de Saúde informações acerca dos hospedes.

Show, bailes e demais eventos do gênero continuam proibidos até o próximo dia 30.

No último dia 16 de março, a prefeitura baixou primeiro decreto, considerando o início da pandemia e a necessidade imediata de evitar contágio devido a quantidade de leitos hospitalares não ser suficiente, e mais de 12 mil empresas fechadas, ficando abertos supermercados, postos de combustíveis, farmácias, clínicas médicas, laboratórios, indústrias e poucos outros. Após 5 dias de fechamento da maioria das empresas, Rosana flexibilizou e liberou funcionamento de milhares de empresas do segmento varejista. Mas ficaram fechados restaurantes, lanchonetes, bares e houve restrições em hotéis que agora parcialmente voltam a operar.

Sinop tem 3 casos confirmados da doença e 50 pessoas aguardam resultados dos exames.

Só Notícias (foto: reprodução - atualizada 16:42h)