Política

Setor produtivo de MT enviará para parlamentares propostas para a reforma tributária

O deputado federal Neri Geller (PP) e o senador Wellington Fagundes (PL), integrantes da comissão mista no Congresso Nacional para analisar as duas principais propostas de reforma tributária debateram, na sexta-feira,em Cuiabá, com dirigentes dos setores produtivos do Estado e propuseram criar uma câmara setorial para tratar do assunto que deverá, a curto prazo, apresentar uma proposta que contemple a iniciativa privada e o próprio governo estadual.

Os representantes e técnicos das entidades dos setores defendem que sejam estabelecidos mecanismos de compensação para evitar um desequilíbrio nas receitas dos Estados e municípios e impedir a perda de investidores.

José Wenceslau de Souza Júnior, presidente da Federação do Comércio de Mato Grosso (Fecomércio) disse que, “não somente Mato Grosso, mas diversos outros Estados da Amazônia Legal têm dimensões continentais com uma baixa população e se nada for feito para contemplar estados com essas características, vamos sair perdendo em muito com essa reforma tributária”.

O senador Wellington Fagundes disse que, “não tem como não discutir essa reforma sem antes pensar onde cada setor pode contribuir e como será essa distribuição. Além disso, a representatividade dos Estados que compõem a região amazônica e Centro-Oeste na Câmara dos Deputados é muito pequena e, por isso, precisamos dessa união para tratar de questões específicas e, assim termos condições de defender propostas regionais”, apontou, através da assessoria.

Também participaram do primeiro encontro os presidentes da Federação das Indústrias de Mato Grosso, Gustavo Oliveira, dadas Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat), Jonas Alves, da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL), Nelson Soares, da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, advogados e representantes do agronegócio.

 

Só Notícias (foto: assessoria)