Política

Secretário rebate Emanuel sobre escola e diz que deveria pedir para assumir a Santa Casa

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, rebateu o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), que, por meio de artigo publicado no site da prefeitura, pediu que o governo do Estado ceda a escola estadual Nilo Póvoas para a administração municipal em vez de fechar o acesso aos alunos e transformá-la num Cetro de Referência Inclusiva. Carvalho questionou porque o prefeito não tomou a mesma atitude em relação à Santa Casa de Misericórdia, que no ano passado foi estadualizada.

“Ele [Emanuel Pinheiro] deveria ter dito a mesma intenção com a Santa Casa de Cuiabá. A Santa Casa ficou com suas portas fechadas mais de 60 dias e ele não teve a iniciativa de assumir. Nós [Estado] assumimos a Santa Casa. Então, temos que ter uma postura única na política e é isso que o governador Mauro Mendes tem determinado a toda a sua equipe”, declarou em entrevista à TV Vila Real.

Carvalho acredita que a intenção de Emanuel Pinheiro é polemizar, o que já vem sendo feito desde as eleições de 2018 quando, diferente do posicionamento do MDB, o prefeito apoio o senador Wellington Fagundes (PL) ao governo em vez de Mauro Mendes (DEM), o que desencadeou um ano de 2019 cheio de animosidade entre Emanuel e o governador.

“O prefeito Emanuel Pinheiro é um apaixonado. Um apaixonado pela política de confronto, uma política de discussões pesadas e não vamos entrar nesse jogo. Nossa política, na gestão do governador Mauro Mendes, é uma política da transparência, de honestidade e eficiência”, afirmou.

Mauro Carvalho explicou que a intenção do governo não é fechar a escola Nilo Póvoas. O projeto faz parte de uma reordenação da rede estadual de ensino em escolas com sobra de vagas e a unidade. No caso da Nilo Póvoas, são cerca de 150 alunos para uma estrutura que pode suportar mais de 1 mil estudantes.

Os estudantes serão remanejados para estadual Antônio Epaminondas, no bairro Lixeira. De acordo com o secretário, já foram destinados aproximadamente R$ 3 milhões para a reforma do prédio e o nome Nilo Póvoas será mantido, agora como Centro de Referência Inclusiva.

Só Notícias/Marco Stamm, de Cuiabá (foto: assessoria/arquivo)