Política

PT é o partido preferido mesmo sob denúncias, diz Datafolha

As recentes denúncias sobre o “mensalão”–suposto esquema de pagamento de propina para parlamentares que votassem a favor do governo– pouco alteraram a disposição dos eleitores em votar no PT em futuras eleições, segundo resultado da pesquisa Datafolha publicado na edição desta terça-feira da Folha de S.Paulo.

Foram ouvidas pelo instituto Datafolha 2.110 pessoas, todas maiores de 16 anos, em 134 municípios de todos os Estados brasileiros.

Um total de 19% dos entrevistados responderam à pesquisa Datafolha, de forma espontânea, que o PT continua a ser o partido preferido (o maior percentual entre as siglas). Em comparação com a pesquisa feita em 16 de junho feita pelo instituto, a taxa oscilou para baixo –de 21% para 19%, dentro da margem de erro de de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Entre as razões para a estabilidade da preferência, segundo o Datafolha, o partido conta com maior exposição e histórico de participação nas principais eleições de 1989 para cá. Depois do PT, o PMDB aparece como o partido preferido, com 10%. PFL e PSDB aparecem com 5% cada um.

Segundo o Datafolha, porém, a decepção com o Legislativo é grande. Segundo os entrevistados, 67% disseram ter “mais vergonha do que orgulho” dos deputados federais, a maior taxa entre os itens apresentados. Só 19% disseram ter mais orgulho dos integrantes da Câmara, também no centro do escândalo do “mensalão”.

A vergonha também venceu o orgulho na percepção sobre senadores e vereadores, diz a pesquisa. Já o orgulho do brasileiro permanece em alta: 76% dizem se orgulhar da população. Os entrevistados também sentem mais orgulho do que vergonha do presidente Lula (54%) e dos governadores (54%). Sobre os prefeitos, 49% dizem se orgulhar, contra 39% que têm mais vergonha deles.

A pesquisa também mostra o apoio da população à reeleição –65% dos entrevistados apóiam a reeleição para a Presidência, enquanto 64% apóiam a medida para governadores e 63%, para os prefeitos.