Política

Procuradora geral rejeita recurso contra cassação da senadora Selma e se manifesta por nova eleição

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que deixa o cargo nos próximos dias, emitiu parecer rejeitando recurso da senadora Selma Arruda (PSL) contra a cassação de seu diploma eleitoral, bem como dos suplentes, e que seja realizada nova eleição.  A procuradora cobrou rápido julgamento do pedido de Selma, no Tribunal Superior Eleitoral.

Dodge destaca que a senadora usou, na campanha do ano passado, quase a mesma quantia declarada com atividades antes do período eleitoral, o que descompassou o pleito com os outros candidatos. Selma e os suplentes foram condenados por caixa 2 e abuso de poder econômico na campanha. Ela foi a mais votada.

Raquel Dodge também manifestou contra o pedido de Carlos Fávaro (PSD) – um dos autores da ação contra Selma – para assumir o mandato até ser feita nova eleição, seguindo a decisão do TRE – Tribunal Regional Eleitoral- e do Ministério Público Eleitoral de Mato Grosso.

O MP constatou com as apurações e a quebra de sigilo bancário da senadora e seus suplentes que a ex-juíza contraiu despesas de natureza tipicamente eleitoral de, no mínimo, R$ 1,2 milhão, “as quais foram quitadas com recursos de origem clandestina que não tiveram regular trânsito pela conta bancária oficial”, diz trecho do relatório. O primeiro suplente Gilberto Possamai fez empréstimo direto para a senadora antes de iniciar o período eleitoral.

Nos embargos que apresentou ao TRE, em julho, os desembargadores acataram um pedido da defesa de Selma e decidiram afastar a acusação de fraude em um cheque, no valor de R$ 29,9 mil.

Outro lado
A senadora não quis se manifestar sobre o parecer.

Só Notícias/Gazeta Digital (foto: arquivo/assessoria)