Política

Presidente do PT de Mato Grosso rebate criticas de deputada

“Gostaria que a deputada Vera Araújo apontasse os fatos antidemocráticos da atual administração do PT-MT”, afirmou Alexandre César, presidente do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores de Mato Grosso (PT-MT), em relação às críticas da deputada estadual Vera Araújo, de que hoje falta democracia no partido. “A tendência da qual a deputada Verinha participa está com uma visão equivocada e esta postura não contribui para o crescimento do partido em Mato Grosso. Em 2000, eles não quiseram concorrer ao estadual e só disputaram o PED em Cuiabá”, informou César, lembrando que a deputada Vera Araújo só compõe o diretório estadual por uma decisão democrática da atual direção do PT-MT, que optou por rodízio anual na liderança de bancada. “É preciso destacar que o mesmo não ocorreu no diretório municipal de Cuiabá, que teve a mesma vereadora líder de bancada por quatro anos, não cedendo espaço para outros”, completou.

Segundo o dirigente partidário, nos três anos e meio em que está à frente do diretório estadual, todas as reuniões estatutárias foram realizadas, nunca faltou quórum e todas as decisões aprovadas em resoluções oficiais. Alexandre César destaca ainda que a administração estadual organizou 16 encontros regionais para discutir as medidas que o PT deveria tomar. “Todas as instâncias do partido funcionaram na nossa gestão”, frisou.

Alexandre Cesar ressalta ainda que todas as tendências minoritárias ocuparam cargos dentro do partido, mais um fato que comprova ser infundada a acusação da parlamentar. “É importante salientar que a deputada, inclusive, sempre foi convidada a participar das discussões e todas as vezes comunicada das ocorrências”, afirma.

O presidente do DE fez questão de deixar claro a diferença da forma de administrar entre os diretórios estadual e municipal. “É curioso que a deputada venha agora nos acusar de agirmos como donos do partido se sempre demos espaço para as outras tendências, e ela pretende se unir ao grupo que está à frente do Diretório Municipal que sempre se comportou de forma autoritária”, criticou.

Alexandre Cesar diz não aceitar em hipótese alguma a acusação de uma administração antidemocrática. “Essa discussão deve ser feita internamente no partido. Nós não vamos aceitar que o patrimônio político do PT seja colocado em risco em razão de uma disputa interna sem coerência”, finalizou.