Esportes

Raikkonen -da Mac Laren- vence em Mônaco e vira ameaça de Alonso

O finlandês Kimi Raikkonen, da McLaren, venceu neste domingo, em Mônaco, o segundo Grande Prêmio consecutivo no Mundial 2005 de Fórmula 1. Com o resultado, ele se confirma como a principal ameaça à hegemonia do espanhol Fernando Alonso, da Renault, que ficou na quarta colocação nesta sexta etapa da temporada.

O alemão Nick Heidfeld e o australiano Mark Webber, ambos da Williams, completaram o pódio. Já o atual e sete vezes campeão mundial, o alemão Michael Schumacher, da Ferrari, foi o sétimo. O brasileiro Rubens Barrichello, também do time italiano, atual vice-campeão, foi o oitavo, logo à frente de seu compatriota Felipe Massa, da Sauber.

Raikkonen assumiu a segunda colocação no Mundial de Pilotos, com 27 pontos. Alonso lidera a classificação com 48, enquanto o italiano Jarno Trulli, da Toyota, fora da zona de pontuação em Mônaco, passou a ser o terceiro, com 26.

Depois de fazer sua terceira pole position seguida, Raikkonen não teve dificuldades para liderar de ponta a ponta a prova disputada em circuito de rua, e, por isso mesmo, de raras ultrapassagens. Poderia ser o terceiro triunfo se o finlandês não tivesse abandonado enquanto dominava em San Marino, antes de ser o melhor em Barcelona.

Um dos maiores destaques na pista aconteceu durante a volta de número 26. O irlandês Christijan Albers, da Minardi, ficou atravessado na pista e causou um engavetamento. Os carros ficaram parados por alguns segundos até conseguirem espaço para seguir em frente.

Massa inclusive precisou dar ré para liberar o caminho. Já Schumacher perdeu o bico ao colidir na traseira de Coulthhard, que precisou abandonar por causa da quebra na suspensão traseira. Os pilotos aproveitaram então a entrada do Safety Car para fazer seus pit stops.