Política

Presidente do Cipem afirma que “setor de base florestal apoia plenamente o programa Carbono Neutro MT”

O presidente do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso, Rafael Masson, afirmou que o setor apoia a iniciativa do Estado de implementação do Programa Carbono Neutro MT, lançado, ontem, pelo governador Mauro Mendes (DEM). A meta voluntária do Estado é neutralizar os gases do efeito estufa até 2035. “O Estado está levando mais uma bandeira muito forte para o mundo e para o Brasil, e o setor apoia plenamente o programa. Somos da base florestal, com muito orgulho, temos mais de 4,7 milhões de hectares em manejo sustentável no estado”, disse Masson.

Com o fortalecimento das metas ambientais do Programa Carbono Neutro Mato Grosso, a projeção é alcançar 6 milhões de hectares de manejo sustentável até 2030. O manejo sustentável é a extração de ativos da floresta com o menor impacto ambiental, preservando a mata em pé.

O Cipem foi uma das instituições que aderiram ao programa como apoiadores, e que farão campanhas para disseminar as metas e os resultados. Também assinaram a Federação das Indústrias de Mato Grosso, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso, a Associação dos Produtores de Soja, Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão, Instituto Mato-Grossense da Carne, União Nacional do Etanol de Milho e Ação Verde.

O Cipem é a união de oito sindicatos patronais de Base Florestal, que tem o objetivo de organizar e fortalecer o setor. Incentiva a produtividade e o consumo consciente de madeira e seus subprodutos de forma sustentável, com respeito a legislação vigente e em harmonia com o meio ambiente.

O Programa Carbono Neutro MT foi instituído pelo decreto, com o objetivo de fortalecer 12 ações que contribuem para o desenvolvimento sustentável, gerando o equilíbrio entre as emissões e remoções de gases do efeito estufa.

As medidas elencadas como importantes para a descarbonização de MT são:  a manutenção do ativo florestal do estado, manejo florestal sustentável, regularização fundiária, melhorias na gestão de áreas protegidas, reflorestamentos comerciais, restauração de florestas, redução do risco de incêndios, manejo sustentável para a produção agropecuária, proteção de vegetação secundária em áreas de desmatamento legal, recuperação de pastagens, integração lavoura-pecuária-floresta, e produção e consumo de biocombustíveis.

As ações serão ajustadas e revisadas constantemente para adequação às inovações tecnológicas e mudanças de conjuntura político-sociais. O decreto também institui o Comitê Gestor do Programa para monitorar os resultados.

Mato Grosso criou também quatro categorias do Selo Carbono Neutro MT: compromissário, apoiador, carbono 0%, e financiador. O selo será uma certificação importante para as empresas que querem mostrar o seu compromisso com o meio ambiente.

Redação Só Notícias (foto: Michel Alvim/assessoria)