Política

Prefeito em Nova Mutum define R$ 6,4 milhões para instalar sistema de energia solar em escolas

O prefeito Leandro Félix (PSL) autorizou abertura de concorrência pública, com investimento de mais de R$ 6,4 milhões, para contratação de uma empresa para elaborar projeto, instalar e manter sistema de mini/micro geração de energia solar fotovoltaica on-grid (conectado à rede). Serão atendidas escolas que produzam média mínima de 130 mil quilowatts/ano.

Consta no termo de referência que estão englobados o Centro de Formação, escolas Cecília Meirelles I, Caminhos do Saber I e II, Lúcia Faccio Tasca, Cora Coralina, 4 de Julho, 15 de Outubro, e Monteiro. Ainda receberão os trabalhos, o Centro Cultural e Biblioteca, bem como uma quadra coberta na rua das Seringueiras.

Já as creches inclusas são a Pequeno Aprendiz, Recanto dos Encantos, Monteiro Lobato, Pequenos Brilhantes, Nova Creche Mãe Amiga, e Sementes do Futuro. A gestão ainda definiu as duas novas casas da Cultura, além da construção de um ginásio na rua dos Aguapés, e uma área institucional na rua das Sete Copas.

Ainda consta que as escolas Tancredo Neves, do distrito de Ranchão, São José, Jorge Carlos Ferreira, e o campo experimental (também no distrito), receberão a compensação dos créditos gerados, entretanto, não estão disponíveis para instalação do sistema, que ficará sobre o telhado.

O contrato com para instalação terá vigência de 360 dias, e a manutenção preventiva e corretiva deverá ser prestado durante 5 anos. O projeto executivo deverá contar com laudo técnico estrutural, de geração distribuída fotovoltaica, caderno de especificações e encargos, bem como aprovação junto à concessionária responsável pelo abastecimento de energia elétrica, dentre outros.

Na justificativa, a administração ponderou que a contratação é em decorrência da “crescente elevação no custo da energia fornecida pela concessionária e o grande número de unidades consumidoras que a secretaria de Educação e Cultura possui em seu orçamento”.

Com o processo licitatório, a SMEC entende que esta alternativa pode “diminuir seus custos com o consumo de energia elétrica através da geração de energia solar fotovoltaica e contribuir para o meio ambiente, gerando energia limpa”. Não é detalhado, no entanto, o valor que deve ser economizado com o sistema.

A definição da empresa será no próximo dia 18.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: arquivo/assessoria)