Política

Prefeito de Sorriso protocola no MP pedido de investigação de corrupção envolvendo servidores públicos

O prefeito Ari Lafin protocolou, esta manhã, no Ministério Público, pedido de investigação sobre possíveis irregularidades em pagamentos no município de Sorriso, envolvendo servidores e recurso público na secretaria de Cidade e Saúde. Os supostos casos de corrupção foram identificados através de fiscalização da secretária de Administração e Fazenda.   “Viemos relatar todos os fatos apurados sobre prováveis funcionários fantasmas contratados pela secretaria de Cidade ligado a uma cooperativa. Foi constatado por nossa equipe de administração, em um dos filtros de fiscalização, que identificaram os fatos, que chegou no gabinete na segunda pela manhã. A primeira notificação foi feita ao secretário para que ele desse as explicações de tudo o que estava acontecendo”, explicou.

Lafin pediu um maior empenho nas investigações. “É um fato muito grave e que precisamos da ajuda do Ministério Público e das forças especializada voltadas ao crime. Como prefeito estou buscando esclarecimentos e estou bastante preocupado com toda essa situação, aliado a isso também a secretaria de Fazenda, através de uma secretária nossa, detectou pagamentos em duplicidade na saúde relacionados a liminares vinda da questão autorizativa por parte da justiça”.

Ele confirmou que alguns servidores da Saúde já foram afastados. “Chamei a responsabilidade para o secretário de Saúde Luís Fábio, já afastamos alguns servidores e estamos pedindo a devolução de valores no qual agora estamos fazendo o levantamento e também entregamos ao Ministério Público esse fato gravíssimo. Eu não tenho noção da proporção do que está acontecendo em termos de desvio de verbas públicas que poderá não ficar apenas no município de Sorriso”, desabafou.

Lafin confirmou o fechamento do departamento jurídico da pasta, sendo entregue as chaves ao Ministério Público. “Na saúde, a princípio, eu conversei com o secretário e tem os primeiros envolvidos no departamento jurídico ligado diretamente a ele. Foi fechado o departamento e a chave está sendo entregue ao Ministério Público, para que venha uma investigação”.

O prefeito também ressaltou que está aberto as investigações e que pediu alertou demais servidores. “A investigação por parte do Ministério Público deverá chamar várias pessoas para virem dar depoimentos, inclusive eu estou aberto para qualquer tipo de investigação, porque eu sou o principal interessado para que possa ser esclarecido. Fico também o recado a todos os servidores município de Sorriso que se fazer, estamos buscando junto a controladoria e outros mecanismos sempre estancar qualquer fato de corrupção”, finalizou.

O secretário de Cidade, Ednilson de Lima Oliveira, acompanhou o prefeito no MP, e um fiscal foi afastado acusado de ‘manejar’ seis servidores ‘fantasmas’. “Eu fui levado ao erro por esse servidor, que é um servidor de carreira, 15 anos concursado e conheço ele há 20 anos. Trouxemos as fichas dos servidores fantasmas, que seriam funcionários da cooperativa pagos pela secretaria de Cidade e que realmente não faziam serviços. Entregamos todos os nomes e comprovantes de pagamentos para promotoria para que faça a devida investigação”.

Ednilson explicou a dinâmica envolvendo os supostos funcionários. “Desde quando eu entrei na secretaria de Cidade a gente tem uma equipe que faz a fiscalização de campo lotados na secretaria de Obras. Servidores ou funcionários cooperados pela cooperativa não são subordinados ao secretário. A única coisa que a secretaria faz é pagar, mas como temos o fiscal de contrato que é esse (servidor afastado) ele atestava que essas pessoas estavam na secretaria de Obras trabalhando. A função é dele, o cooperado não é meu subordinado”, finalizou.

O secretário de Administração, Estevam Calvo Filho, manifestou ontem que a estimativa dos desvios e irregularidades chegaria a R$ 500 mil.

Receba em seu WhatsApp informações publicadas em Só Notícias. Clique aqui.

Só Notícias/Kelvin Ramirez (foto: Só Notícias/arquivo)