Política

Prefeito confirma aumento de 11% para servidores municipais em Sinop

O prefeito Nilson Leitão anunciou, há instantes, em entrevista coletiva, que o salário dos servidores municipais aumentará 11%. A decisão foi tomada a partir da reivindicação da classe de 33,65%, ontem, em assembléia geral.
Segundo Nilson, esse valor é correspondente a realidade que o município pode pagar. “Temos que levar em conta nossa situação atual. Não vou agir com irresponsabilidade, anunciando um valor que vai agradar no primeiro mês e depois não vou poder pagar. Sabemos que ano passado demos um aumento para a educação de 18%, o Governo Federal não deu nada, e o Governo do Estado pagou a inflação de 6,54%. Esses 11% que o município está pagando é 11% mil a mais do que aquilo que o Governo Federal está pagando, apenas 1% e ainda tem o Estado, que deu aumento de 6%. E sabemos que o governo arrecada muito mais que Sinop, 26% dos recursos do país vão para o Estado e 60% para o Governo Federal”, disparou.

Nilson afirma ainda que o salário dos servidores municipais de Sinop é um dos melhores de Mato Grosso. “O menor salário do Estado é R$ 300 e de Sinop é R$ 370. Com aumento vai para R$ 420 e tem mais a insalubridade. Um gari que hoje ganha R$ 390 vai passar a ganhar R$ 550. Esse é um aumento substancial para a classe, nunca visto antes. Agora é só comparar quanto ganha uma pessoa na iniciativa privada e na Prefeitura, sem conta que recebe em dia e até adiantado, contando com todos os benefícios do sistema público”, completou.

Esse aumento de 11% significará um impacto na folha de pagamento municipal de R$ 264 mil por mês, no ano será aproximadamente R$ 3 milhões. “Temos que comemorar o aumento se levarmos em conta a crise que o pais está vivendo. Enquanto que em alguns lugares o aumento foi de 2%, aqui vamos dar o aumento de 11% e, ainda, pagamos os salários em dia. A crise já fez com que o setor rural desemprega-se 90% da sua mão-de-obra e aumentasse consideravelmente a inadimplência”, salientou.

Nilson pede que o funcionalismo entenda que não é só o aumento que deve ser levado em conta, mas outros fatores que vem junto com o crescimento do município. “Tem outros serviços. O governo não abriu seu orçamento ainda e a prefeitura já, inclusive está trabalhando, fazendo obras, está na rua. Só este ano, já contratei mais de 100 professores, o crescimento traz a necessidade de aumentar o quadro de funcionários. Vem ai o concurso público, que vai me fazer contratar mais serviço braçal, garis, professores, médicos, enfermeiros e a folha de pagamento vai aumentar, além do valor, em quantidade. Não vou cometer irresponsabilidade, como em gestões de outros prefeitos, que passaram 4 anos discursando sobre a prioridade de pagar o salário em dia. Eu não discuto isso, pois acho que é obrigação de qualquer empregador”, finalizou.