Política

Paulo Fiúza espera ser empossado no Senado em 15 dias e diz que ‘resgatou a verdade’

O agora senador diplomado, Paulo Fiúza, disse ao Só Notícias que espera ser empossado em aproximadamente 15 dias. A demora está no trâmite do Senado, que não aceitou o acórdão do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso enviado por e-mail. Com isso, a justiça eleitoral vai enviar o documento fisicamente, via sedex, e a expectativa de Fiúza é que chegue ao Congresso até a próxima terça-feira. Depois a movimentação interna envolve avaliação da advocacia-geral do Senado, que vai orientar a presidência quanto à posse.

Fiúza está em Brasília acompanhado toda a movimentação de perto e disse que, embora esteja ansioso, se sente paciente com a situação. “Para quem teve a paciência e a perseverança de lutar e esperar por sete anos e sete meses, o que são mais de ou 15 dias?”, analisou.

Paulo Fiúza vai assumir a vaga do senador José Medeiros (Podemos), que teve seu mandato cassado pelo TRE por, segundo o Pleno do Tribunal, ter fraudado a ata eleitoral de 2010, colocando-se como primeiro suplente no lugar de Fiúza. O processo demorou mais de sete anos e restará ao sinopense menos de seis meses de mandato, o que incomoda a Fiúza, mas não tira o sabor da sua vitória.

“Resgatamos a verdade. Mesmo que eu não assumisse um dia no Senado, eu queria resgatar a verdade e foi o que aconteceu. Mesmo que eu não tivesse um dia de mandato eu estaria satisfeito”, declarou.

Medeiros já disse ao Só Notícias que pretende recorrer da decisão pedindo um efeito suspensivo para que nem precise desocupar a cadeira no Senado.

Só Notícias/Marco Stamm (foto: assessoria)