Política

Mensalão: Henry pode se livrar de pedido de cassação e ter pena mais branda

O relator da CPI dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), decidiu nesta quarta-feira indicar, mesmo sem ouvir a defesa dos envolvidos, que houve quebra de decoro de todos os deputados que constarão da lista de nomes que sacaram recursos das contas do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. A comissão e a CPI do Mensalão devem enviar o documento amanhã à presidência da Câmara.

Inicialmente, o deputado havia dito que somente alguns deputados teriam a penalidade de cassação de mandato, sugerida no relatório, a depender das provas que a CPI tiver contra os parlamentares.

Deputados como Pedro Henry (PP-MT) e Sandro Mabel (PL-GO) teriam penalidade mais branda, já que não há documentação suficiente contra eles. Depois, o relator mudou de idéia. “Eu vou indicar que todos podem incidir em falta de decoro. Depende do juízo que os integrantes do Conselho de Ética fizerem. Ninguém pode esconder que houve ruptura da ética, passiva de cassação de mandato.”

A lista com o nome dos 18 parlamentares que sacaram recursos das contas de Marcos Valério deve ficar pronta amanhã, ser votada pelas duas comissões –Correios e Mensalão– e encaminhada à presidência da Câmara. De lá, a documentação segue para a Corregedoria e pode ser aberto o processo de cassação de mandato contra os citados.

CPIs

Os presidentes e relatores das duas CPIs decidiram ontem, em reunião com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), concluir em conjunto o relatório.

A decisão, elogiada por Serraglio, amplia a pressão política sobre o presidente da Câmara, Severino Cavalcanti (PP-PE), que anteontem disse que não encaminharia a listagem para o Conselho de Ética.