Política

Mauro descarta plano para compra de vacinas contra Covid e cita ‘burocracia gigantesca’

O governador Mauro Mendes (DEM) confirmou que Mato Grosso abandonou o plano de comprar vacinas contra a covid-19. Segundo o gestor, as condicionantes impostas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) burocratizaram o processo de aquisição e impediram que os estados brasileiros pudessem importar o imunizante contra a doença.

“Para não dizerem ‘não’, o que pegaria mal, disseram sim e colocaram 29 regras para serem cumpridas. Uma burocracia gigantesca, que não foi exigida de ninguém, foi exigida dos Estados, para que não importássemos. Levamos quase quatro meses para cumprir 25, 26 condicionantes e, ao final, quando estávamos na iminência de cumprir tudo, o Brasil já estava com o suprimento adequado”, disse Mauro.

Mato Grosso e outros seis Estados que compõem o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (BrC) haviam assinado um contrato de intenção de compra direta para aquisição de 28 milhões de doses da vacina russa Sputnik V. Como não houve a entrega, Mato Grosso não chegou a pagar pelos imunizantes. “Se olharmos para março deste ano, eram 4 mil mortes por dia. Isso era muito grave e todo mundo queria fazer algo. Então, era natural que os prefeitos e governadores quisessem comprar vacina. Só não foi atrás da vacina, quem não acreditava nela”, comentou o governador.

Pelo protocolo de intenção de compra, o Governo do Estado pretendia adquirir 1,2 milhão de doses da Sputnik V, com os dois componentes da vacina, ou seja, suficiente para imunizar 1,2 milhão de pessoas. “Hoje não tem essa necessidade de comprar, então, não vou gastar dinheiro do contribuinte mato-grossense com algo que o governo federal está enviando e tem obrigação de enviar. Porque sempre foi assim. Quem compra a vacina do país é o governo federal, que manda para os estados, que recebem, fazem a logística e mandam para os municípios aplicarem”.

Esta semana, conforme Só Notícias já informou, o ministério da Saúde enviou mais 49.140 doses da vacina Pfizer para a imunização dos grupos prioritários da Campanha Nacional de Vacinação contra Covid. As novas doses passarão a ser distribuídas mediante solicitação das gestões municipais, o que se deve ao risco de perda devido ao prazo de validade e à baixa procura por imunização em alguns municípios.

Até o momento, Mato Grosso já recebeu 6 milhões de doses de imunizantes contra a covid-19.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: Mayke Toscano/arquivo)