Política

Mauro autorizou abertura de 90 leitos de UTIs em dois meses e MT é referência no Centro-Oeste

O governador Mauro Mendes afirmou que, de janeiro até agora, o governo de Mato Grosso já habilitou 90 novos leitos de UTI para atender casos graves de Covid. Foram abertos 10 em Primavera do Leste, 10 em Nova Mutum, 10 leitos em Alta Floresta e 10 em Lucas do Rio Verde, em parceria com as prefeituras.

Também foram abertas UTIs na rede estadual de Saúde, sendo 10 leitos no Hospital Metropolitano, 30 no Hospital Estadual Santa Casa e 10 no Hospital Regional de Sinop (aumentando para 29 o total)

Desde o início da pandemia, a estrutura de UTIs foi ampliada em quase quatro vezes: havia 124 UTIs administradas pelo estado em março de 2020. Em março de 2021, são 483 entre as UTIs que o estado administra e as que o estado cofinancia em parceria com os municípios.

“Somente neste ano abrimos 90 novas UTIs em Mato Grosso. Mas chegamos no limite desses leitos de UTI porque não temos médicos, não conseguimos mais encontrar fisioterapeutas, técnicos de enfermagem e demais profissionais para atuar nessas UTIs. Então é preciso diminuir a circulação das pessoas para diminuir o contágio. Espero que as pessoas compreendam isso”, ressaltou o governador.

O levantamento da secretaria Estadual de Saúde aponta que Mato Grosso é o Estado do Centro-Oeste com a maior estrutura de leitos de UTI por 100 mil habitantes (13,6), contra 12,2 de Goiás, 10,7 do Distrito Federal e 10,6 de Mato Grosso do Sul, informa a secretaria adjunta de Comunicação.

Além da abertura de UTIs e enfermarias, o governo de Mato Grosso também investiu forte na testagem da população. É o segundo estado brasileiro que mais testou sua população (perdendo apenas para Roraima): a cada 100 mil habitantes, foram testados 30,6 mil. “Eu espero que a população compreenda e siga as medidas de isolamento social e higiene para que possamos frear o contágio, porque nessa semana vamos chegar provavelmente a quase 100% de ocupação das UTIs”, concluiu Mauro.

 

Só Notícias (foto: Mayke Toscano/arquivo)