Política

Lideranças tucanas temem que PSDB caia nas mãos de Blairo Maggi

Como vai ficar o PSDB a partir da eleição para a formação do novo Diretório Estadual do partido, no próximo dia 21? Esta vem sendo a grande preocupação da Juventude do partido que teme ver o PSDB cair nos braços do governador Blairo Maggi caso o prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, vença esta disputa. É que a afinidade dos dois políticos é muito intensa e em todos os lugares por onde anda, o prefeito faz questão de enaltecer o trabalho e a ajuda que vem recebendo do Governo do Estadual.

As lideranças do PSDB, principalmente as mais jovens, como Arefson Antônio Gomes de Arruda, presidente da Juventude Estadual do partido não consegue mais esconder esta preocupação com o pleito interno do próximo dia 21. O prefeito de Sinop, Nilson Leitão já sinalizou que não pretende ser candidato à presidência do Diretório Estadual. Com isso, abre caminho para Wilson Santos, que sem nenhum concorrente vai para a disputa fortalecido, o que pode, segundo estas jovens lideranças provocar o fim do partido. “Estamos preocupados como será a forma como o prefeito vá conduzir o partido, mesmo porque sempre mostra uma grande afinidade com Blairo Maggi”, disparou Arefson.

Para o presidente da Juventude Estadual do PSDB, os caciques do partido precisam entender que são oposição no Estado e trabalhar como tal. “Somos oposição a Maggi e não podemos aceitar nenhum tipo de aliança com o Governador. Pelo contrário, temos uma sigla forte, que vai de encontro com o anseios da população e necessitamos ter candidatura própria, disputar todos os cargos eletivos”, ensina, demonstrando o grande temor de que a vitória de Wilson Santos possa ser o fim da história tucana em Mato Grosso, com o partido ficando nas mãos do governador Blairo Maggi.

A preocupação tem razão de ser na medida que grandes lideranças do partido como o ex-governador Dante de Oliveira e o senador Antero Paes de Barros não mostram interesse em disputar o Governo do Estado contra Maggi. Dante, que perdeu, no último pleito, uma vaga no Senado agora quer disputar a Câmara Federal, o que obrigará sua esposa, a deputada federal Thelma de Oliveira a tentar uma candidatura quase difícil para a Assembléia Legislativa ou o encerramento de sua carreira política. Já Antero, que está há oito anos no Senado fala em disputar a reeleição, mas não descarta a possibilidade de tentar uma cadeira na Assembléia Legislativa por não ter o apoio do governo para tentar continuar n Câmara Alta em Brasília.

Diante desta engenharia política, o PSDB corre o sério risco de perder seu poder político e, ficando com Wilson Santos, no comando da Executiva Estadual, será, na avaliação de Arefson Antônio Gomes um retrocesso político para história tucana em Mato Grosso.