Política

Lideranças inspecionam baía na região do Pantanal que enfrenta seca; Max cobra ação emergencial

O primeiro-secretário da Assembleia, deputado Max Russi (PSB), liderou uma comitiva de parlamentares e representantes do executivo e judiciário para acompanhar ‘in loco’ o local de desova e reprodução de peixes da região da Baía do Chacororé, Barão de Melgaço,  que está completamente seco e em estado crítico. A baía é alimentada pelo Rio Cuiabá.

Max e a comitiva estiveram em Chacororé e constataram que parte considerável, de fato, precisa de ações emergenciais. A abertura de novas passagens de água é uma delas. Outro assunto discutido foi em relação aos corixos, que precisam ser desobstruídos, além da limpeza e recuperação de diversos pontos.

“A situação está crítica. A baía secou, diminuiu mais da metade do seu tamanho, totalmente raso e nós precisamos tomar providências. Tivemos uma reunião ontem com o governo, Sinfra, Casa Civil, Sema, prefeituras de Barão de Melgaço e Santo Antônio de Leverger e câmaras municipais, pantaneiro e demais órgãos. Agora, precisamos unir forças para criar estratégias, criar um grande movimento e preservar o nosso pantanal. Aqui é o berço do pantanal, nosso ecossistema e precisa ser bem cuidado, por isso estamos aqui nessa comitiva lutando pelo meio ambiente, em defesa no nosso pantanal”, observou.

A prefeita Margareth de Munil fez um apelo aos deputados e demais autoridades e expôs a precariedade que o município enfrenta para cuidar da Chacororé. “É uma calamidade pública que instalou em Barão de Melgaço, Santo Antônio, em nosso Pantanal. Estamos em um período de cheia, imagina o período de seca. Por isso eu conclamo as autoridades presentes que ajudem, apoiem-nos. Nossa prefeitura está sucateada, não temos nem máquina para andar. Não temos nem como buscar recursos. É complicado você pegar uma máquina e não ter como andar. Peço ajuda do governador, dos deputados e da nossa prefeita vizinha em Santo Antonio. Precisamos unir forças, precisamos de apoio”, criticou.

O deputado Max chamou a atenção das autoridades presentes para que a reunião não fique apenas em fotos e vídeos, mas em ação que mude a realidade da região acrescentando que, além do ecossistema afetado, existe ainda a preocupação com o social, já que centenas de famílias residem próximas à bacía. O deputado adiantou que falará com o governador Mauro Mendes (DEM), para que o secretário Marcelo Padeiro (Sinfra) e Maurem Lazzaretti (SEMA), acelerem os trabalhos para que a seca não se arraste pelos próximos anos, informa a assessoria.

 

Só Notícias (foto: assessoria)