Política

Governo de MT diz que já distribuiu 99,5% das doses recebidas aos municípios de MT

O Governo de Mato Grosso informou, hoje, que recebeu, até agora, do Ministério da Saúde, 561.210 mil doses das vacinas contra covid-19. Deste total, segundo o governo, já foram disponibilizadas aos 141 municípios do Estado 558.742, ou seja, 99,5% do total recebido.

“Após a distribuição de forma célere aos 14 Escritórios Regionais de Saúde, espalhados por todo o Estado, cabe a cada município fazer a retirada do imunizante, organizar o agendamento e a aplicação da vacina nos grupos prioritários”, explicou o governo do Estado, por meio da assessoria.

Das 558.742 mil doses disponibilizadas aos municípios, as prefeituras aplicaram 290.882 (52%), sendo 218.514, como primeira dose; e 72.368, como segunda dose. 

Os municípios que mais aplicaram vacinas, considerando o percentual de doses aplicadas em relação às doses recebidas, foram: Aripuanã (88%), General Carneiro (83%), Alto Boa Vista (77%), Ribeirãozinho (77%), Juína (76%), Sorriso (73%), Jaciara (72%), Santo Afonso (72%), Luciara (70%) e Campos de Júlio (69%).

Segundo a nota publicada hoje, devido à população indígena, os municípios podem registrar as doses aplicadas nas aldeias localizadas em territórios vizinhos. Por essa razão, alguns municípios podem ultrapassar o limite de 100% de doses aplicadas.

Na força-tarefa de vacinação, cabe ao Governo do Estado fazer a logística de distribuição, que é definida pela Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT), composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

A escolta dos materiais até os 14 polos de distribuição é feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e o Ministério da Defesa. Em alguns casos onde há necessidade, o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) disponibiliza sua frota aérea para dar celeridade à distribuição.

O governo de Mato Grosso ressaltou ainda que o Governo Federal define o total de doses que cada estado recebe, de acordo com a quantidade de pessoas que pertencem aos grupos prioritários e não pela quantidade absoluta da população. Ou seja, estados com o maior número de idosos e profissionais de saúde recebem mais vacinas nesse primeiro momento.

Redação Só Notícias (foto: assessoria)