Política

Governo de MT quer economizar até R$ 5 milhões segurança patrimonial 

O governo de Mato Grosso divulgou, ontem, que economizará até R$ 5 milhões por ano com o projeto Águia que está em fase de implementação pela secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), desde o início de maio, em parceria com a secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), Casa Militar e os demais Poderes e órgãos localizados no CPA. Além da economia, essa parceria visa reforçar a segurança institucional e patrimonial da região.

A partir de segunda-feira (20), o acesso ao Centro Político Administrativo será fechado às 20h com reabertura para a circulação de veículos e pessoas às 6h da manhã. A entrada e saída entre esse horário será feita somente pela guarita da Praça das Bandeiras, na Avenida do CPA, para pessoas autorizadas que exerçam algum tipo de atividade no Centro Político. Aos sábados e domingos o acesso seguirá bloqueado. Com isso, o Estado prevê economizar com a redução de contratos de vigilância. O governo entidades, demais poderes e órgãos autônomos circunvizinhos assinaram em junho o termo de cooperação técnica de segurança institucional do Centro Político Administrativo.

Outra ação do projeto Águia é o monitoramento eletrônico em tempo real de todas as ruas do Centro Político Administrativo. Quem anda ou trafega por este caminho já deve ter notado a presença de várias câmeras de segurança nas vias públicas. A Seplag instalou 37 câmeras, sendo 26 de monitoramento e 11 analíticas, que coletam imagens que identificam placas veiculares. Essas imagens são monitoradas em tempo real durante 24h por dia pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).

O sistema é de última geração e é interligado com o Ministério da Justiça e Departamento Estadual de Trânsito. Ele faz buscas automáticas na base de dados desses órgãos e caso tenha alguma ocorrência registrada com o veículo, ele é identificado automaticamente. A partir daí o operador do Ciosp entra em contato com a 4ª Companhia da Polícia do Palácio do Governo, que imediatamente faz a abordagem necessária.

Para o titular da Seplag, Basílio Bezerra, o uso da tecnologia para fazer a segurança institucional e patrimonial nos prédios públicos é um mecanismo que busca tornar o local mais seguro e a um custo menor.

“Com a implantação do sistema, qualquer situação anormal aciona o alarme junto ao Ciosp. Com isso reduzimos custos e ainda otimizamos o trabalho policial. Além de ser uma solução para vigilância patrimonial também contempla outras funcionalidades que variam de acordo com a natureza das atividades de cada instituição”.

Nos primeiros 30 dias de monitoramento eletrônico, as câmeras registraram 12 ocorrências, sendo cinco de roubo e furto de veículos e motos, que após a ativação do alarme de monitoramento e a abordagem realizada pelos policiais da 4ª Cia, foram conduzidas para a delegacia. Além desses casos, outros como colisões e abordagens de veículos em atitudes suspeitas também foram solucionados.

“O projeto Águia é uma ação voltada para a segurança pública e trará benefícios tanto para a preservação do patrimônio público como para a segurança da população, através do monitoramento e registro de toda a movimentação no entorno e no interior do Centro Político Administrativo”, comentou o Tenente-coronel Osmário Cícero de Oliveira Júnior, comandante em substituição legal da 4ª Companhia Independente de Polícia Militar de Segurança Institucional (CIPMSI).

Segundo o comandante a atividade de segurança pública será realizada pela Polícia Militar, por meio de policiais militares da 4ª Cia Palácio, responsável também pelo policiamento ostensivo/preventivo dentro do Centro Político Administrativo.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)