Política

Formada comissão especial que investigará MT Fomento

Indicados hoje, durante sessão plenária, os cinco parlamentares que vão compor a Comissão Especial, que vai investigar supostas irregularidades financeiras na Agência de Fomento de Mato Grosso. O início dos trabalhos deve começar assim que as indicações forem publicadas no Diário Oficial.

Os nomes definidos pelas lideranças partidárias na Assembléia Legislativa são os seguintes: Carlos Carlão Nascimento (PSDB), que deve ser indicado como presidente. Os outros quatro deputados são: Alencar Soares (PP), Zeca D’Ávila (PFL), Vera Araújo (PT) e Pedro Satélite (PPS). O nome do relator ainda não foi definido.

A criação da comissão foi sugerida na semana passada pelo deputado Carlão Nascimento. O parlamentar recebeu denúncias de irregularidades de empréstimos feitos pela MT-Fomento, ao proprietário da empresa Cássio Car, no valor de R$ 1,2 milhão. 

“É preciso instalar com urgência a comissão, para que os deputados e a sociedade saibam como estão sendo feitos os empréstimos pela MT-Fomento. A denúncia é pública, por isso é fundamental que a comissão comece o mais rápido possível os trabalhos”, destacou Carlão.

O deputado Ságuas Moraes (PT) disse estar surpreso com as denúncias feitas pelo colega de parlamento, de o MT-Fomento estar emprestando dinheiro em valores fora da realidade da autarquia.

“Fico preocupado no momento que aparece empréstimos altos, quando a MT-Fomento foi criada para dar suporte financeiro a pequenos empresários. Se a entidade fizer cinco empréstimos nesse valor denunciado, a MT-Fomento fecha por falta de recursos. Por isso quero saber, também, para onde esta indo esse dinheiro”, destacou Ságuas Moraes.   

Carlão disse ainda que o presidente da MT-Fomento, Éder de Moraes Dias, negou dar informações dos empréstimos realizados pela autarquia por se tratar de uma instituição financeira. “Ele alega que caso as informações sejam repassadas estará quebrando o sigilo financeiro. Na comissão, Éder de Moraes vai ter que dar as explicações. Agora se o deputado as divulgarem é de responsabilidade do deputado”, observou Carlão Nascimento.