Política

Em paz, Mauro e Wellington cumprem agenda em Brasília e trocam gentilezas nas redes sociais

O discurso de rivalidade entre o governador Mauro Mendes (DEM) e o senador Wellington Fagundes (PL – antigo PR) parece ter ficado somente na campanha eleitoral. Após um primeiro semestre sem grandes atritos, mas sem muito contato, agora as duas das maiores forças políticas de Mato Grosso ensaiam uma aproximação. Ontem os dois participaram de três agendas em Brasília e trocaram mensagens de gentileza nas redes sociais.

Os dois estiveram no Tesouro Nacional, em reunião agendada por Fagundes, para buscar a autorização de contratação do empréstimo de 250 milhões de dólares junto ao Banco Mundial. Após conseguir que o processo continue a ser analisado apesar de Mato Grosso não ter cumprido com o programa de Reestruturação e Ajuste Fiscal pactuado com o Governo Federal em 2017, conforme Só Notícias informou, Mauro Mendes gravou um vídeo ao lado de Fagundes chamando-o de “nosso senador” e dizendo que ele “nos ajudou muito”.

Mauro Mendes também agradeceu aos técnicos do Tesouro Nacional e reforçou o apoio recebido do senador. “Agradeço muito aos técnicos do tesouro que estão tendo uma atitude muito diligente com o Estado de Mato Grosso atendendo aqui a nossa bancada federal e o senador Wellington Fagundes”, acrescentou.

O senador retribuiu a gentileza aderindo ao discurso de Mauro Mendes dizendo que “tenho a certeza de que isso vai viabilizar a curto e médio prazo a situação econômica do Estado”.

O governador ainda participou do almoço do Bloco Vanguarda a convite de Fagundes, que é líder do grupo de nove senadores. Mauro se sentou ao lado do senador Mato-grossense e voltou a requisitar que o Senado inclua os estados e municípios na reforma da previdência. A terceira agenda em conjunto, também por iniciativa de Fagundes, foi uma audiência no Ministério da Saúde em busca de uma solução para a Santa Casa de Rondonópolis. Nos últimos dois compromissos, ambos usaram suas redes sociais para fazer menção um ao outro.

Só Notícias/Marco Stamm, de Cuiabá (foto: arquivo/assessoria)