Política

Chamado de ‘bandido’ pelo prefeito de Cuiabá, Riva rebate: ‘estou nessa situação por gente como ele’

A campanha eleitoral na capital começa com troca de pesadas acusações. O ex-presidente da Assembleia Legislativa José Geraldo Riva rebateu as criticas do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) a quem acusou, em delação premiada, ter recebido R$ 2,4 milhões de propina, em forma de repasses mensais (mensalinho) entre 2011 e 2014 para defender o governo estadual.

Chamado de ‘bandido’ pelo prefeito, Riva rebateu: “Ele sabe que eu só estou nessa situação por causa de gente como ele, que extorquia e achacava quem achava pela frente”, disse, ao Gazeta Digital. Riva acrescentou expondo que prefeito sabe o que “fez” e que agora usa um discurso de “autodefesa”.

Emanuel afirmou, no final de semana, que a acusação começou depois que foi eleito prefeito e “quiseram me envolver. Ai surgiu agora mais uma jogada baixa dos nossos adversários. O maior ficha suja de Mato Grosso terá que provar que ele me deu R$3 milhões. Larga de ser bandido, larga de ser leviano. Quem dá R$ 3 milhões pra alguém?. Aí eu tenho que me defender. Ele fala o que não tem como provar porque dava em espécie. Isso é leviandade”, atacou o prefeito.

Além da acusação de Riva, Emanuel também é acusado em delação premiada de receber mensalinhos de R$ 50 mil na gestão do ex-governador Silval Barbosa e foi filmado colocando maços de dinheiro no paletó.

Só Notícias (foto: arquivo/Chico Ferreira/A Gazeta)