Política

Blairo reafirma intenção de ficar fora da política e prega respeito a senadora Selma

O ex-governador, ex-senador e ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi voltou dizer que não tem intenção de retornar à política e reafirmou que não pretende concorrer ao Senado, caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirme a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso e mantenha a cassação da senadora Selma Arruda (Podemos) pelos crimes de caixa 2 e abuso de poder econômico. Dizendo-se “livre” após 24 anos de serviço público, Maggi foi além e disse que não aceitaria o cargo nem que fosse nomeado sem a necessidade de disputar eleição.

“Minha decisão é de não voltar para a política. Não volto. Está totalmente descartado. Não tenho nenhuma pretensão de disputar eleições. Digo mais, se houvesse a possibilidade de me nomear como senador, seriam dois trabalhos: um de nomear e outro de desnomear”, reforçou.

Maggi enfatizou que a classe política de Mato Grosso precisa ter cuidado ao discutir a possível sucessão de Selma Arruda e pregou respeito à senadora. “Não podemos faltar com respeito. Ela tem um mandato. Foi cassado? Sim, mas ela tem onde recorrer. Ficar falando de herança sobre uma pessoa que não morreu, é complicado. O dia em que e se confirmar a cassação, pode-se discutir algo”, completou.

As negativas de Maggi foram justamente num evento político. Ele foi convidado pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) para a inauguração do Hospital Municipal e foi homenageado por ser o interlocutor junto ao ex-presidente Michel Temer para a transferência de R$ 100 milhões para a conclusão do hospital.

Só Notícias/Marco Stamm, de Cuiabá (foto: Só Notícias/arquivo)