Política

Audiência pública em Sinop discute medidas para fortalecer a segurança

A falta de policiais, viaturas, combustiveis e armas para a Polícia de Sinop não é novidade. O crescimento da cidade também está acarretando no aumento de arrombamentos, furtos e assaltos. Uma audiência pública, da Assembléia Legislativa, ontem à noite, reuniu diversas lideranças políticas e a cúpula da segurança pública do Estado para discutir o que pode ser feito a curto e médio prazos.

O secretário de Segurança, Celio Wilson, disse que o Estado tem feito investimentos em Sinop para fortalecer a segurança pública. Citou que o governador Blairo Maggi inaugurou, semana passada, dois centros comunitários de segurança nos bairros Boa Esperança e São Cristóvão. Lembrou que está sendo construído um presídio cuja obra está na reta final. Está sendo feito em parceria do Governo Federal com Estado e Município. Celio Wilson disse que estão sendo investidos R$ 150 mil para as polícias civil, militar e bombeiros desempenharem suas atividades.

Foram feitas várias reivindicações e sugestões como por exemplo, a reativação da Delegacia da Mulher e da delegacia de Roubos e Furtos, além de serem destinados mais agentes para a Polícia Civil. A Delegacia Municipal de Sinop, por exemplo, tem deficiência de recursos humanos. “Precisamos de, no mínimo, mais 10 agentes”, disse uma fonte de Só Notícias. O secretário Celio Wilson anunciou que será feito concurso público para contratar mais policiais e não confirmou a quantidade que deve ser destinada para Sinop.

A audiência pública foi presidida pelo presidente da Assembléia Legislativa, Silval Barbosa e teve a participação dos deputados Dilceu Dal Bosco, autor da proposta de audiência, Pedro Satélite, Welington Fagundes, os prefeitos de Sinop, Nilson Leitão, de Feliz Natal, Manuel Salles, de Vera, José Nilton dos Santos e de União do Sul, Enio Alves, além do secretário de Segurança, Celio Wilson, o comandante geral da PM, Leovaldo Salles, o delegado Romel Santos, diretor da Polícia Civil, a juíza Maria das Graças Gomes da Costa, o promotor Marcos Bulhões, o presidente da OAB, Elpídio Moretti, vereadores, presidentes de associações de bairros e entidades.

O presidente da Assembléia, Silval Barbosa, disse que audiências como esta visam mostrar a preocupação do parlamento estadual em buscar soluções para os mais diversos problemas.