Política

Antero vai disputar a reeleição e cita “Sales ou Leitão” para o governo

“O que dá certo no Brasil é aquilo que não depende do PT”. A frase é do senador Antero Paes de Barros ao avaliar o governo Lula e as chances do PSDB retomar o poder a nível federal e até mesmo no Governo de Mato Grosso. O senador garante que não vai disputar o governo do Estado. “A base do meu partido quer que eu dispute a reeleição para o Senado”, disse.
     
Em entrevista ao programa jornalístico “Jornal da Manhã” da TV Record, Canal 10, na manhã desta sexta-feira, Antero Paes de Barros disse o PSDB de Mato Grosso faz política diariamente e vem percorrendo todo o Estado para reestruturar o partido e prepará-lo não apenas para as eleições do ano que vem como para as eleições municipais de 2008. “Não ficamos parados, nos movimentando apenas em época de eleição. Pensamos no futuro. Esse é o jeito de fazer política. É por isso que o PSDB continua forte no Estado e vai reconquistar o governo do Estado”, justificou.
     
Com relação a um possível namoro com o governador Blairo Maggi, Antero disse que isso não existe. Segundo ele, antes das eleições municipais houve uma aproximação, quando o hoje prefeito de Cuiabá, Wilson Santos chegou a convidar o governador para ingressar no PSDB. Mas durante as eleições houve um rompimento que perdura até hoje.
     
A propalada verticalização que parece preocupar tanto o governador Blairo Maggi e sua cúpula também foi comentada pelo senador que foi claro ao ressaltar que ela, a verticalização, existe na legislação eleitoral com amplo apoio do PT, PL e do próprio PPS, que dão sustenção política ao governo Lula. “Portanto, ninguém pode reclamar. Se querem acabar é preciso mudar a legislação eleitoral e até agora não vi nenhuma proposta neste sentido”.
     
Sobe a possibilidade de voltar a disputar o Governo do Estado, Antero disse que seu projeto para 2006 é disputar a reeleição ao Senado. “As bases do PSDB querem que eu dispute a reeleição pelo trabalho que tenho desenvolvido no Senado Federal”, explicou, lembrando que o ex-governador Dante de Oliveira não pretende disputar nenhum cargo majoritário. “O projeto de Dante é disputar a Câmara Federal”.
     
Mas apesar das duas maiores expressões do PSDB em Mato Grosso afirmarem que não vão disputar cargos majoritários, o partido terá candidato ao governo do Estado no próximo ano. Segundo Antero, Rogério Sales, que já foi prefeito de Rondonópolis e no final da gestão de Dante de Oliveira assumiu o Governo do Estado é o principal candidato do partido. “Ele já colocou seu nome a disposição do partido. É uma expressiva liderança. Tem trabalho prestado e pode muito bem prestar um grande serviço para Mato Grosso como governador”, disse, lembrando ainda que Nilson Leitão, prefeito de Sinop também surge como candidato natural do PSDB.

Mas as principais criticas de Antero foram mesmo ao governo Lula. Segundo o senador mato-grossense Lula é um fiasco, um fracasso. “Só um ministro que deu certo, o Palocci, mesmo assim com a política econômica do passado, de Fernando Henrique. O PT adotou política conservadora. É garoto propaganda do FMI. Impôs transferência de recursos para os organismos exteriores. O andar de cima, dos ricos está cada vez mais rica. Jáno andar de baixo, da pobreza, conta com crianças morrendo de fome. Este fome zero só serve para propaganda. Este governo é um fiasco”, disparou.
     
Segundo o senador, o PSDB tem tudo para voltar ao poder e a meta já está traçada. Será diminuir juros, promover uma ampla reforma tributária, gerar empregos, mandar mais dinheiro para as prefeituras e Estados. “Não é possível ficar do jeito que está. A energia do jeito que está vai levar o Brasil a um apagão. É inaceitável. Vamos pagar anos de atraso por culpa do governo do PT de Lula, um governo autoritário que inventou até conselho para fiscalizar jornalista”, ressalta.
     
Antero diz que o PT inventou de tudo para prejudicar a classe trabalhadora. “Agora querem acabar com a liberdade sindical, querem amordaçar os sindicatos e os trabalhadores. Acabar com o 13º salário. Este governo não vai bem e a culpa é do Lula”, dispara.
     
Antero Paes de Barros disse também que é preciso acabar com a política das “medidas provisórias”. Segundo ele o legislativo não vem conseguindo fazer leis, legislar. “Quem está fazendo isso é o governo Lula com seguidas medidas provisórias que são imposta goela abaixo. É preciso regulamentar as medidas provisórias. Legislativo não legisla. Mais de 90% das leis são regidas pelo executivo. O congresso precisa recuperar sua alto estima”, explica.
     
Quanto a decisão do governo federal em distribuir gordas verbas para o agronegócio, deixando de lado a reforma agrária, Antero disse que é mais um erro do governo e lembrou que Fernando Henrique Cardoso foi o presidente que mais investiu na reforma agrária, promovendo assentamentos e diminuindo a violência do campo. Segundo Antero, investir no agronegócio, que é o setor que mais tem contribuído para a arredação do país é fundamental. Mas não primordial. “O governo do PT que sempre defendeu as invasões de terras, a baderna, hoje está na contra-mão de suas posições. Não investe na Reforma Agrária. Está permitindo o aumento da violência no campo, das invasões. O PT é um governo de contradições. Isso não pode acontecer. |O gorverno brasileiro está parado. O que dá certo ao Brasil é aquilo que não depende do governo Lula”, comentou.