Polícia

Sorriso: delegado acredita que jovem foi executado e outro torturado por “ostentarem” ser integrantes de facção

O delegado de Polícia Civil, Márcio Portela, acredita que o jovem executado a tiros e o outro torturado, na semana passada, no distrito de Boa Esperança do Norte (150 km da cidade de Sorriso) no Salto Magessi foram confundidos com entrantes de uma facção criminosa. Um deles teria postado vídeo nas redes sociais enaltecendo uma facção rival dos suspeitos. O corpo não foi localizado e os bombeiros encerraram as buscas.

“A vítima foi ouvida aqui na delegacia e foi realizada a prisão de uma mulher. Em relação aos outros autores estão sendo identificados. Até o momento, tudo indica que os dois estavam ostentando que faziam parte de uma facção criminosa. Não foi constatado nenhuma vinculação a organização. O local lá tem bastante correnteza, os bombeiros realizaram buscas, mas o corpo não foi localizado. Testemunhas serão ouvidas para comprovar esse desaparecimento. No momento, tudo indica que ocorreu o crime, houve a execução”, disse o delegado.

O local tem grande pedreira e, devido às chuvas, o volume da água está alto e a correnteza comprometeu a segurança da equipe de mergulhadores. A versão do jovem que sobreviveu é que conseguiu se salvar ao pular no rio e ser levado pela correnteza. Em seguida, procurou ajuda no destacamento de Polícia Militar onde relatou o crime. A versão é que, na quarta-feira à noite, saiu com seu amigo, que teria sido executado, para encontrar uma mulher e, ao chegar em um local escuro, foram abordados por três homens, imobilizados, amordaçados e levados até uma residência. Lá, foram agredidos e ameaçados. Os criminosos passavam a faca em suas orelhas e dedos falando que iriam arrancá-las.

Ainda segundo o jovem, os criminosos perguntaram se eles eram de alguma facção enquanto desferiam chutes nas costelas e no rosto. No dia seguinte, eles foram levados vendados e amordaçados para o Salto Magessi. Um dos jovens foi  colocado de joelhos e, em seguida, executado. O que alega ter sobrevivido contou que viu, por baixo da venda que estava em seus olhos, enquanto um suspeito segurava seu amigo e o outro disparou. Em seguida, caiu no rio.

Só Notícias/David Murba (foto: Só Notícias/Lucas Torres/arquivo)