Polícia

Policiais já apreenderam mais de 22 toneladas de drogas em 9 meses em Mato Grosso

Mais de 22 toneladas de entorpecentes foram apreendidas janeiro a setembro deste ano superando todo período do ano passado, quando foram 18 toneladas apreendidas. O resultado é endurecimento das ações de enfrentamento ao tráfico de drogas que tem sido adotado pela secretaria de Estado de Segurança Pública.  Parte deste resultado, se deve ao aparelhamento das forças de segurança por meio do Programa Mais MT, que prevê até o final deste ano um total de mais de R$ 700 milhões em investimentos somente para a Segurança Pública.

São novas viaturas, armamentos, fardamento, implantação da radiocomunicação digital, criação de novas vagas em unidades penitenciárias e tecnologias desenvolvidas para o combate ao crime que estão não só dando mais condições de trabalho aos servidores das forças de segurança, como também estão enfraquecendo a atuação de grupos criminosos, em especial aos envolvidos com o tráfico doméstico e internacional de drogas.

Na avaliação do secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, o que mais contribui para estes índices é o trabalho integrado das forças de segurança estaduais e federais, seja no operacional ou na troca de informações entre as agências de Inteligência. “Ano passado durante o ano todo apreendemos 18 toneladas de drogas, o que para nós foi um recorde. Já este ano, até setembro, apreendemos 22 toneladas, batendo mais um recorde. O uso de tecnologia e a integração das forças é o segredo. Aqui se tem a certeza que a criminalidade não há de prosperar”, pontuou Bustamante.

Algumas ações ganharam notoriedade, a exemplo da apreensão de cinco toneladas de maconha realizadas pela Polícia Civil em Alto Taquari (480 km de Cuiabá), ocorrida em setembro. O entorpecente era transportado na câmara fria de uma carreta, junto a uma carga de tutano e vinha de Mato Grosso do Sul para ser distribuído em diversas cidades de Mato Grosso.

Mato Grosso possui uma grande extensão territorial, em especial na faixa de fronteira, que compreende mais de 980 km, sendo destes 750 km de fronteira seca. A atuação do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), assim como das demais forças de segurança, tem sido de grande importância, principalmente no combate ao tráfico internacional de drogas.

O Gefron também bateu recorde este ano, realizando a maior apreensão de cocaína já feita pela unidade. O caso ocorreu no dia 25 de setembro, em Cáceres (217 km de Cuiabá), quando um caminhão boiadeiro que carregava 25 cabeças de gado e trafegava sentido Bolívia/Brasil, foi parado no Posto do Limão. Ao descarrega-lo, as equipes do Gefron e da Polícia Federal encontraram mais de uma tonelada de cocaína. “A integração entre as instituições tem dado muito resultado. Com os investimentos feitos pelo Governo do Estado, os resultados estão aparecendo, causando grandes prejuízos às organizações criminosas”, avaliou o coordenador do Gefron, tenente-coronel PM Fábio Ricas. P prejuízo ao crime é de mais de R$ 26 milhões.

 

 

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)