Polícia

Polícia já tem suspeitos da morte de advogado em Juína

A polícia já está buscando dois suspeitos de terem assassinado o advogado Sonir Belém Nunes, 47, com pelo menos sete golpes de punhal, na última terça-feira em Juína (600 km de Sinop). Seriam dois adolescentes de pele clara com idades entre 16 e 18 anos. Os suspeitos foram vistos por testemunhas saltando muros e subindo em telhados para fugir, logo após o assassinato.

Ao lado do corpo, a polícia encontrou copos de bebida vazios e peças de roupa que podem ser dos acusados. Nunes morava sozinho, desde que brigou com o filho, que saiu de casa há cerca de 8 dias. Nenhum objeto pessoal ou dinheiro teria sido retirado do local.

O delegado que conduz as investigações, Cristian Cabral, informou à Gazeta que investiga também as atitudes do filho do advogado, que teve atritos com o pai dias antes do fato. Descrito como violento, o rapaz teria danificado o carro do advogado e dito que iria matá-lo. “Estamos investigando o filho da vítima como possível suspeito de ser o mandante”, afirma o delegado.

A vítima foi encontrada morta na casa onde morava, no centro de Juína, por volta das 21h. O corpo de Nunes foi trasladado em um avião fretado para ser velado e enterrado em Cuiabá.