Polícia

Polícia Federal sem pistas de assaltantes de carro forte em Mato Grosso

Núcleo de Inteligência (NI), da Polícia Federal continua investigando o assalto a um carro-forte que descarregava malotes com quase R$ 200 mil em frente à agência da Caixa Econômica Federal (CEF), por volta das 10 horas da última segunda-feira (4). As investigações, no entanto, continuam na estaca zero.

A PF, segundo a reportagem do Site 24 Horas News apurou na manhã de hoje, já avançou mais de 50% nas investigações, inclusive levantando algumas pistas dos 14 bandidos que participaram do assalto – um deles foi baleado e preso -, mas ainda não conseguiu identificar nenhum dos integrantes da quadrilha que pode ter fugido de Cuiabá.

Um dos bandidos baleado na troca de tiros com seguranças da empresa Brinsks continua entre a vida e a morte. Trata-se do assaltante Carlos Mário Márcio da Silva, o “Lão”, de 21 anos, com reduto de crime no Jardim Cuiabá. O assaltante foi operado no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC), mas continua em estado grave e sendo vigiado por três agentes da Polícia Federal.

Cinco pessoas foram baleadas – uma delas é da quadrilha e fugiu ferida – na manhã da última segunda-feira durante o assalto à agência da Caixa Econômica Federal (CEF), localizada no campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) no bairro Boa Esperança em Cuiabá. Foram feridos dois seguranças da Brinks Segurança, uma cliente da CEF e dois assaltantes. No local além de muito sangue, o tiroteio, e o corre-corre que virou pânico e quebra-quebra deixou um cenário de guerra.

Segundo informações da Polícia, seriam 14 assaltantes em três carros: dois Vectras e um Corolla, que assaltaram um carro forte e levaram mais de R$ 195 mil em alguns malotes que estavam chegando para abastecer a agência da CEF.

Os seguranças reagiram, começando um tiroteio que durou alguns minutos. A cliente Ada Daiani Almeida de Carvalho, de 19 anos, que estava no local, levou um tiro, mas sem gravidade. Ela que foi medicada no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá. (PSMC) e depois foi liberada.

Os dois seguranças da Brinks: Mauro Alves Muniz Júnior, 34, levou um tiro de raspão. O companheiro de trabalho dele, Altamir Alves do Bonfim, 40, levou um tiro de pistola no abdome e foi operado no Hospital Jardim Cuiabá, onde continua hospitalizado, também em estado grave. Um assaltante foi preso no local depois de levar três tiros: no pescoço, no estômago e no fêmur -, de escopeta calibre 12.

Um dos carros usado no assalto, um Vectra, foi abandonado logo em seguida na Avenida Archimedes Pereira Lima (antiga Estrada do Moinho). O veículo apresentava manchas de sangue no banco traseiro e no passageiro ao lado do motorista.