Polícia

Polícia Federal e Exército retiram mais de 50 pessoas de garimpo ilegal em Mato Grosso

A Polícia Federal e o Exército Brasileiro retiraram mais de 50 pessoas, hoje, de um garimpo ilegal localizado dentro da Terra Indígena Sararé, em Pontes e Lacerda (450 quilômetros de Cuiabá). A ação faz parte das operações Verde Brasil 2 e ALFEU. Segundo a assessoria, os envolvidos foram encaminhados para o município, onde serão autuados.

No balanço divulgado esta noite pela assessoria, foi informada a apreensão de dez dragas de mineração, motores de embarcações e geradores. As operações contam com 250 homens do Exército, 20 agentes da Polícia Federal, dois do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA) e um da Fundação Nacional do Índio (Funai). Eles devem permanecer no local por tempo indeterminado.

A operação ALFEU se dá em cumprimento à decisão judicial da 2ª Vara da Justiça Federal de Cáceres. A ação faz parte da operação Verde Brasil 2 e tem como  objetivo de apurar associação criminosa voltada ao desmatamento e garimpo ilegal no Rio Sararé. Ao todo, estão sendo utilizadas 25 viaturas, nove embarcações e três helicópteros.

A área está localizada na Terra Indígena Sararé, onde as investigações apontam a ocorrência de graves danos ambientais ao rio e à vegetação ciliar.  Os levantamentos indicam que as degradações aumentaram intensamente durante a pandemia Covid-19, com a crença dos criminosos de que os agentes públicos não atuariam para combater o crime na região.

Na ação de hoje, os policiais cumprem seis mandados de prisão e sete mandados de busca e apreensão. Concomitante, a PF realiza a desocupação do garimpo ilegal, em ação integrada com o Exército Brasileiro. Os instrumentos utilizados na empreitada criminosa serão apreendidos. Estes objetos e demais bens sem valor econômico e impossíveis de serem removidos serão inutilizados, tudo conforme determinado pela Justiça.

Precauções estão sendo adotadas para que os integrantes da associação criminosa não entrem nas aldeias indígenas localizadas próximas à área de extração. O Exército realiza um bloqueio no local, com dezenas de militares impedindo a chegada dos garimpeiros.

Só Notícias/Herbert de Souza