Polícia

Polícia Federal apreende em Sinop ATPFs e delegado avalia resultado da operação

O delegado Cleiton Eustaquio Xavier, que comandou hoje em Sinop a operação Currupira, confirmou que os 18 presos hoje devem ficar cerca de 5 dias na cadeia. Todos estão com prisão temporária decretada pelo juiz federal Julier Sebastião da Silva.
O ex-superintendente do Ibama (exonerado hoje) Hugo Werle também foi preso em Sinop, em um hotel, e foi recambiado à tarde para Cuiabá. A chefe da gerência do Ibama Ana Riva, os ex-chefes Guilherme Lima, Carlos Henrique Bernardes, Gleycon Figueiredo e os servidores do Ibama Joaquim Lima, Raimundo Nonato.

A Polícia Federal apreendeu com alguns dos acusados ATPFs preenchidas em nomes de empresas, computadores, carros e agendas. No apartamento do ex-chefe do Ibama em Sinop Guilherme Lima havia uma espingarda, uma pistola e um revólver.
“Eles estão implicados em vários delitos como formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica e a pena deles vai variar de acordo com cada crime praticado”, explicou o delegado Xavier. “Todos os documentos apreendidos aqui em Sinop serão minuciosamente analisados”, afirmou.

Há vários anos que a Polícia Federal e a Justiça Federal investigavam a ação das quadrilhas em Mato Grosso e outros estados. Os servidores do Ibama são acusados para facilitar a madeireiros extração ilegal de toras em áreas de propriedade da União e de terras indígenas. Cálculo da PF apontam que seriam 66 mil cargas de madeira extraídas irregularmente. A quadrilha teria faturado cerca de R$ 800 milhões.