Polícia

Polícia faz operação e cumpre 38 mandados prisão contra membros do crime organizado em Cuiabá

A Polícia Judiciária Civil deflagrou, esta manhã, a operação “10º Mandamento” para cumprimento 51 ordens judiciais, sendo 38 de mandados de prisão e 13 buscas, expedidas pela Vara do Crime Organizado de Cuiabá, contra membros de uma facção criminosa. Além de Mato Grosso, a ação ocorre em Goiás e Paraná.

Em Mato Grosso, os mandados de prisão são cumpridos em Barra do Garças (contra 11 pessoas que já estavam presas e 9 soltas), Rondonópolis (1 reeducando), Água Boa (7 reeducandos e 3 soltos) e Cuiabá (7 detentos e um solto), em trabalho conjunto com o Sistema Penitenciário, da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

A operação é resultado de investigações da Delegacia Regional de Barra do Garças, por meio do Núcleo de Inteligência, e da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) para resposta contra a suposta facção criminosa que atua em presídios do Estado.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, as investigações iniciaram em Barra do Garças, em maio de 2016, após a Delegacia da Mulher ser alvo de disparos de arma fogo, e na sequência o incêndio, com uso de coquetel conhecido por “Molotov”, a casa de um agente penitenciário, como sinais de retaliação às ações de enfrentamento realizadas sob o comando da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) e da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). As viaturas do Sistema Socioeducativo também foram incendiadas, supostamente a mando da facção.

“Começamos a trabalhar monitorando essas pessoas. Percebemos que havia conexão entre os integrantes da organização criminosa, obedecendo à hierarquia. Depois descobrimos que se tratava dessa organização, quando foi declinada a competência para vara do crime organizado”, detalhou o delegado regional de Barra do Garças, Adilson Gonçalves.

O inquérito da operação será concluído pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), em Cuiabá. Para a operação foram empregados 115 policiais civis (delegados, escrivães e investigadores), de unidades das Regionais de Barra do Garças, Água Boa, Rondonópolis e Cuiabá, da Gerência de Combate ao Crime Organizado e outras unidades da Diretoria de Atividades Especiais (DAE).

Participam da operação 10º Mandamento as Delegacias de Polícias Especializadas de Roubos e Furtos de Barra do Garças, Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), 1ª Delegacia de Barra do Garças, Delegacia Especializada do Adolescente de Barra do Garças e Delegacias Regionais, com atuação especial o Núcleo de Inteligência de Barra do Garças.

A operação “10º Mandamento” faz alusão aos mandamentos da Bíblia, entre eles o 10º mandamento – não cobiçar as coisas alheias-, ou seja, não cobiçar o que é do próximo e esta organização criminosa, hipoteticamente, em uma das suas vertentes criminosas de obtenção de valores espúrios, dirigia-se atos delitivos contra o patrimônio alheio, praticando crimes de furtos, roubos e estelionatos.