Polícia

Polícia Civil registrou mais de 4 mil ocorrências este ano em Tangará da Serra

A inadimplência continua elevada no País, mas, pelo segundo mês consecutivo, houve recuo na taxa de devolução de cheques, de acordo com estudo divulgado pela Telecheque nesta segunda-feira (26).

Em novembro, as devoluções de cheques caíram para 2,81% frente aos 2,87% registrados em outubro. No confronto com novembro de 2004 (2,36%), entretanto, a taxa atual é 0,45 ponto percentual maior.

Para se ter uma idéia do valor destas dívidas, basta saber que, em novembro, os cheques possuíam valor médio de R$ 137,90. Em igual mês no ano passado, este valor era de R$ R$ 121,00, alta de 14%. Ainda de acordo com a pesquisa, a maioria das transações se refere a pagamentos parcelados, 68,2% do total.

Segmentos
A primeira colocação no ranking de inadimplência ficou com o setor de Calçados Esportivos, cuja taxa de inadimplência ficou em 6,34% no mês passado, denotando alta de 1,74 ponto percentual em comparação com o mesmo mês do ano passado (4,60%) e queda de 0,31 ponto percentual frente a outubro (6,65%).

Na seqüência, aparece o segmento de Eletrodomésticos. Em novembro, o índice de cheques devolvidos ficou em 5,89%, denotando um expressivo aumento, tanto diante de novembro do ano passado (2,73%), como na comparação com outubro (3,47%).

Já as lojas de Roupas Infantis viram a taxa de inadimplência do cheque subir de 2,37%, em novembro de 2004, para os atuais 4,52%. Há elevação ainda em relação a outubro, que apresentou taxa de 2,89%.

Em relação às menores incidências de cheques sem fundos, destaca-se o desempenho de Lazer, com taxa de apenas 0,42% no mês passado, patamar inferior aquele observado em igual mês no ano passado (0,67%).

Outros setores que merecem destaque são o Comércio de Automóveis e Óticas. O primeiro registrou taxa de inadimplência igual a 1,13% em novembro, enquanto o segundo anotou taxa de 1,63% no décimo primeiro mês do ano.

Quando comparada a novembro de 2004, a taxa no segmento de comércio de autos é menor (1,91%), ao passo que no segmento de óticas, a situação é pior hoje do que há 12 meses (0,90%).

Análise geográfica
Analisando o comportamento da inadimplência nas diversas regiões do País, a Telecheque aponta o Rio Grande do Norte como o líder em transações devolvidas, detendo o índice de 6,28% (contra 6,35% em outubro e 2,18% em novembro de 2004). Mato Grosso (6,72%) e Paraíba (4,08%) dividem o segundo e terceiro posto.