Polícia

Polícia apura possível participação de militares na execução de empresário no Nortão

O delegado de Polícia Civil Victor Hugo Caetano de Freitas acaba de confirmar, ao Só Notícias, que foi cumprido, esta manhã, em Matupá (208 quilômetros de Sinop) mandados de buscas e apreensões na residência de dois militares da ativa, que são suspeitos de participação na execução do empresário Gilberto de Oliveira Couto, de 46 anos, atingido por mais de quatro tiros nas costas e na cabeça, no final do mês de maio, na frente de uma casa, localizada na rua Salvador, no bairro Jardim Vitória, em Guarantã do Norte (233 quilômetros de Sinop). 

Os celulares dos militares foram apreendidos e serão encaminhados a perícia técnica em Cuiabá. Para não atrapalhar as investigações o delegado não divulgou as identidades dos policiais.

Conforme Só Notícias já informou no final do mês passado, três também homens foram presos em uma fazenda durante cumprimento de mandados de buscas e apreensão, na região de Novo Mundo (291 quilômetros de Sinop) suspeitos de envolvimento na morte do empresário.

Conforme o delegado, durante a ação, foram apreendidas diversas munições, um aparelho celular, um revólver calibre 38 e um aparelho que armazena imagens das câmeras da fazenda. Eles pagaram fiança e já foram liberados.

Também são acusados de participação na morte de Couto, o filho dele, a ex-esposa e o namorado dela. Eles chegaram a ser presos, mas conseguiram habeas corpus e foram soltos dias depois.

O desembargador da Terceira Câmara de Direito Privado, Dirceu dos Santos, concedeu liminar e mandou bloquear bens avaliados em R$ 20 milhões (duas fazendas, gado, caminhonete e outros) que eram disputados por Gilberto Couto com a ex-mulher. 

Só Notícias/David Murba (fotos: reprodução)