Polícia

Gefron vai atuar também na região de Colniza

A partir de 2006 o Grupo Especial de Fronteira (Gefron) terá sua área de atuação ampliada. A decisão foi tomada pelo Governo do Estado e vai beneficiar a população de toda a região de Colniza com a presença efetiva do aparelho estatal naquela região. O coordenador do Gefron, major Zaqueu Barbosa disse que já existe a previsão de realização de concurso público, para suprir cerca de 200 novas vagas correspondentes ao aumento do efetivo, bem como a previsão no orçamento, de R$ 1,5 milhões, para a implantação da nova unidade do Gefron na região.

Atuando na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia desde o segundo semestre de 2003 o Gefron tem apresentado resultados bastante positivos em operações que visam coibir crimes como roubos e furtos de veículos e maquinários, descaminho e contrabando, porte ilegal de armas, além do tráfico de entorpecentes, entre outros.
Para se ter uma idéia da atuação do grupo, nas barreiras montadas pelo Gefron foram apreendidas de junho de 2003 a novembro de 2005 um total de 130,760 quilos de entorpecentes e, nas ações realizadas em parceria com a Polícia Federal, somente este ano, já foram apreendidos cerca de 400 quilos de entorpecentes e recuperados 30 veículos.

Em relação aos veículos – considerados moeda de troca nas transações que envolvem entorpecentes –, de junho a dezembro de 2003 foram recuperados 45 veículos; em 2004 64 veículos e, em 2005, até o ultimo mês de novembro, já haviam sido recuperados 82 veículos. “Esse aumento dos números indicam que novos golpes que vem sendo aplicados pelos bandidos como o do financiamento ou do consórcio”, explica o major.

Nas ações que o grupo desenvolve na região de fronteira participam de forma significativa o Exército, Associações de Produtores Rurais, Sindicatos Rurais e outros órgãos e organismos. “Essa atuação em parceria tem levado a uma diminuição de mais de 80% dos crimes na faixa de fronteira”, ressalta o coordenador.
O Gefron atua numa extensão de 528 quilômetros de linha seca e 280 quilômetros de água, na fronteira – uma faixa de 150 quilômetros de largura entre Mato Grosso e a Bolívia. Possui em seu efetivo 107 homens da Polícia Militar e 27 da Polícia Judiciária Civil. No total são 17 veículos não operacionais e mais 12 caminhonetes, 12 motos e quatro caminhos home care, estes operacionais.

A área de fronteira de Mato Grosso com a Bolívia envolve 25 municípios e cerca de 240 mil habitantes. Um verdadeiro desafio para qualquer estratégia de fiscalização, diz o major Zaqueu. “Daí a importância e a necessidade de um efetivo especializado para atuar nessa região”.

Segundo ele, foi essa forma de atuação que acabou forçando os traficantes a adotar novas rotas e estratégias, como o transporte da droga em pequenas quantidades (pulverização) e o fim dos comboios de carros roubados além de novas rotas que passam hoje pela região de Colniza.

“Com a criação da unidade do Gefron em Colniza estaremos fechando as possibilidades de atuação do crime naquela região”, salientou ele.

GEFRON – O Grupo Especial de Fronteira (GEFRON) foi criado no Estado de Mato Grosso no dia de 13 de Março de 2002, através do Decreto Estadual nº 3994, que prevê a instalação e implementação de sua estrutura no prazo máximo de dois anos.

O decreto estabelecia o trabalho integrado da Policia Civil, Militar e Bombeiros. O Gefron é uma Força Integrada pelos órgãos de segurança do Estado e tem como missão apoiar os órgãos federais responsáveis pela segurança na fronteira do Brasil com a Bolívia dentro do Estado de Mato Grosso.