Polícia

Curso vai capacitar PMs e delegados para negociar em gerenciamento de crises

Oficiais da Polícia Militar e Delegados estarão participando de 6 a 13 de junho, na Escola Superior de Segurança Pública, localizada no bairro Tijucal, do curso de Capacitação de Negociadores em Gerenciamento de Crises. O curso coordenado pelo delegado Marcos Aurélio Veloso e gerenciado pelo Gabinete de Gestão Integrada – GGI, com o apoio da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), é mais um passo na integração entre os vários organismos da segurança pública em Mato Grosso.

O objetivo é capacitar negociadores que irão compor o Comitê de Gerenciamento de Crises do Estado de Mato Grosso, órgão vinculado a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), que tem como finalidade gerenciar e buscar soluções legais que façam frente às crises que possam ocorrer no sistema de segurança pública no estado.

A intenção do Governo é possibilitar a capacitação de negociadores por Pólos Regionais de Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Rondonópolis, Barra do Garças, Cáceres e Tangará da Serra. “Os negociadores irão atuar de forma integrada nas ocorrências de alto risco na capital e em todo o interior do Estado”, explicou um dos coordenadores do curso, o delegado Marcos Aurélio Veloso.

Quarenta e cinco policiais civis, militares, bombeiros, da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Exército, Gefron, Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e agentes prisionais, além integrantes do Judiciário e Ministério Público e integrantes do GGI – Rondônia e Mato Grosso do Sul formarão a primeira turma.

Esses profissionais foram selecionados em suas unidades por possuírem aptidões e perfil específicos. “São profissionais com maturidade emocional, possuem habilidades como entrevistadores, facilidade para se comunicarem com pessoas de variados extratos sociais e econômicos, bom raciocínio lógico e são experientes no trabalho operacional, além de possuírem pensamento estratégico em situações de tensão e atrito”, salientou Veloso.

O curso terá carga horária de 80 horas/aula divididas em 80 horas/aula de conteúdo teórico e 36 horas/aula de exercícios práticos.

Instrutores locais e convidados estarão ministrando os conhecimentos teóricos e coordenando a parte prática entre eles os coordenadores do curso, o Delegado de Polícia, Marcos Aurélio Veloso Silva e o tenente coronel Joelson Geraldo Sampaio.

Entre os palestrantes convidados está o coronel da PM do Paraná, Valter Wiltemburg Pontes, um dos mais reconhecidos especialistas em gerenciamento de crises do país, além de profissionais de comprovada experiência em âmbito nacional e psicólogos com experiência em psicologia criminal.

O curso será dividido em quatro fases que irão abranger temas como Introdução à negociação e experiências locais, Psicologia aplicada à tomada de reféns, Tática e técnicas de negociação, programação neuro-linguistica, exercícios de campo e avaliação e encerramento.

De acordo com o secretário de Justiça e Segurança Pública, Célio Wilson de Oliveira, com a instituição do Comitê de Gerenciamento de Crise a secretaria, em conjunto com o GGI, está estabelecendo procedimentos relativos ao atendimento de ocorrências com reféns, rebeliões em presídios e ocorrências de especial importância. “São normas de conduta que sistematizam o emprego dos órgãos de Segurança Pública”, salientou.

CGC – O Comitê de Gerenciamento de Crises é presidido pelo secretário de Justiça e Segurança Pública, tendo como membros natos o comandante geral da Polícia Militar e o diretor da Polícia Judiciária Civil.

Integram também o Comitê um delegado do PJC; um oficial superior da PM e um do Corpo de Bombeiros; representantes da OAB, Ministério Público, Poder Judiciário, do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), do Sistema Prisional, Polícia Rodoviária Federal e um assessor de comunicação.

Participam como convidados representantes de órgãos da esfera federal, estadual e municipal, cuja presença for considerada importante pelos integrantes do Comitê.

Prevendo a implantação do Comitê, um primeiro grupo de mais de 50 integrantes, composto por delegados, policiais militares, bombeiros, e representantes do nível estratégico das instituições, que integram o Comitê, foi treinado no ano passado. Passaram também pelo treinamento, dirigentes e representantes dos pólos de Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Rondonópolis, Barra do Garças, Cáceres e Tangará da Serra.