Polícia

Apreendido menor acusado de matar adolescente em Sorriso

Os investigadores da Polícia Civil de Sorriso apreenderam, há pouco, um menor acusado de ser o principal suspeito de ter assassinado uma adolescente, de 13 anos, que foi encontrada, hoje de madrugada, em um terreno, no Jardim Itália. Ele responderá por prática de ato infracional ao crime de homicídio qualificado. De acordo com as informações coletadas pela polícia, no dia do desaparecimento (31 de março) a garota utilizou o celular da irmã para falar com um rapaz. Em seguida, arrumou a cama com travesseiros para que pensassem que ela estava dormindo e saiu de casa.

Assim que o corpo foi localizado, a Polícia Civil iniciou as investigações que apontaram o adolescente como principal suspeito do crime. Durante a oitiva de testemunhas, foi possível descobrir que havia um relacionamento entre o suspeito e a vítima. Segundo o delegado responsável pelas investigações, Nilson André Farias de Oliveira, o menor tinha um namoro sério com outra garota, mas “ficava” com a vítima. “O suspeito teria desconfiado que a vítima estivesse grávida, fato que atrapalharia o seu relacionamento com sua namorada oficial, o que motivou o crime”, disse o delegado.

No dia do crime, conforme a Polícia Civil, o rapaz estava acompanhado por amigos até um pouco antes de a vítima sair escondida de casa, por volta da meia-noite. Ainda de acordo com testemunhas, ele estava bem fisicamente e sem lesões aparentes, porém, no dia seguinte amanheceu com o tornozelo torcido, com fratura evidente e as mãos machucadas, possivelmente devido aos esforços empregados para desferir as agressões contra a vítima.

O corpo da adolescente será transladado para Campo Mourão, no Paraná (452 quilômetros de Curitiba) onde será sepultada.

De madrugada, no local do crime, o perito Luciano Nogueira, da Politec, constatou que havia “uma lesão na cabeça”e outra nas costas. No local encontrou tijolos e madeira, com sinais de sangue, que teriam sido usados para assassiná-la. O perito acrescenta que o crime teria ocorrido há mais de 24 horas. Luciano disse que, no local do crime, não foram encontrados sinais que ela teria sido violentada sexualmente. “Aqui no local a gente não pode constatar. Mas o médico legista vai observar no necrotério. Ela estava toda vestida, não estava com desalinho de roupas”.

Só Notícias/David Murba (foto: Só Notícias/Lucas Torres)