Polícia

Acusado de esfaquear mãe, esposa e sogra em Sinop se apresenta na delegacia e é liberado

O acusado de esfaquear as três mulheres, 30, 47 e 48 anos, que são sua esposa, mãe e sogra, respectivamente, no último dia 9, em uma residência, no bairro Bom Jardim, se apresentou, esta manhã, na delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança, Adolescente e Idoso com dois advogados. Ele foi ouvido, prestou sua versão dos fatos e acabou liberado.

De acordo com o advogado de defesa, Bruno Hintz o suspeito não se recorda do momento que cometeu as tentativas de homicídio. “A versão que ele apresentou trata-se de uma discussão ocorrida entre ele, e a esposa, naquele momento ambos conviviam, regada a bebida (alcoólica)”. “As facadas propriamente ditas, ele não se recorda desse momento. É bom dizer que em momento algum ele teve intenção de matar alguém”, alegou em entrevista à imprensa.

Ainda segundo a defesa do homem, ele e a esposa estavam ingerindo bebida alcoólica desde às 11h da manhã e o caso ocorreu após às 22h30. “Ele não tem passagens, e essa é uma das razões pela qual conseguimos a apresentação sem que o mesmo fosse recolhido à cadeia pública”, destacou.

O advogado ainda apontou que a apresentação já estava pré-ajustada com as autoridades. “Veio ocorrer hoje a apresentação em razão dos trâmites necessários, oitiva das vítimas, das testemunhas, bem como da pandemia. Prestou sua versão dos fatos, e pode sair pela frente da delegacia, continuar sua vida normal”, salientou.

Conforme Só Notícias já informou, no dia das tentativas de homicídio, a esposa do suspeito também confirmou à polícia que os dois estavam consumindo bebida alcoólica com sua sogra, quando houve uma discussão e o homem começou a quebrar os móveis de casa.

Neste momento, ligou para sua mãe que foi até o local. Ao falar para sua filha pegar suas coisas para irem embora, o homem golpeou a esposa. A mãe do suspeito tentou impedi-lo e também foi atingida, em seguida, a outra mulher que é sogra do homem foi esfaqueada.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: Só Notícias/Guilherme Araújo/arquivo)