Opinião

Um caso de amor com as mudanças

As pessoas, só serão verdadeiramente livres quando deixarem de ser escravas das culpas e das cobranças do passado, das inseguranças do presente e das preocupações constantes com a estabilidade no futuro.

A situação momentânea são produtos dos acontecimentos passados e reflexos dos nossos atos, e que podem trazer possíveis perda ou ganhos, e que são resultados que na verdade devemos usá-lo como aprendizado para as nossas sequências das fases da vida.
 Ser livre é manter um caso de amor com as mudanças promovidas durante a nossa existência, aceitando o passado e o presente como são, enfrentando, compreendendo e desvendando os mistérios que nos levam criar expectativas exageradas, sobre tudo, saber esperar que o tempo futuro esteja livre para podermos representar o nosso papel no grande espetáculo da vida, e assim, poder estar disposto a viver intensamente às coisas simples ou complexas, sem se importar com a mensuração das nossas ações sobre o tempo exigido para vivê-las.

O importante é seguir apreciando cada emoção minuciosamente, sabendo entendê-la e aceitá-la, mas sendo menos rigoroso consigo mesmo e principalmente sentir o prazer de compartilhar os doces momentos da vida com aquele parceiro (a) que aceitou fazer um pacto existencial, tendo a responsabilidade amorosa de continuar a espécie humana, pois entre eles, estão os nossos amores, são eles que nunca desistem de estar ao nosso lado e comemorar a nossas vitorias, e amar a vida com se ela não tivesse fim.

Wilson Carlos Fuáh – Economista Especialista em Administração Financeira e Relações Políticas e Sociais em Mato Grosso - [email protected]