Opinião

Um apelo à racionalidade. Individualismo + falta de nacionalismo = crise

Foi com profundo pesar que li no Só Notícias e no jornal Gazeta Regional Edição 1003 matéria intitulada “Crise! Por qual motivo? Você sabe quem é o culpado? Então saiba agora.
Digo que foi com profundo pesar porque é triste ver que representantes de setores tão importantes para a sociedade estejam de alguma forma se contaminando com a onda de individualismo promovida e propagada por determinadas ONGs que representam os interesses das grandes potências e que utilizam a mídia para criar um clima de discórdia na sociedade brasileira, fomentando assim uma espécie de luta entre classes ( patrão x empregado). O ponto mais importante para todos nós, agricultores, madeireiros, pecuaristas, profissionais liberais, sindicalistas, comerciantes, funcionários ou patrões, tem de ser o de encontrar soluções para a situação caótica pela qual passa a economia em nossa região.
Independentemente de nossas ocupações, de nossa condição econômica, todos vivemos na mesma região onde a economia é calcada na exploração das atividades primárias, quais sejam: agricultura, madeira e pecuária. Isto significa dizer que todos nós, independentemente de qual seja a atividade à que pertençamos, seremos afetados. É notório que as atividades primárias em especial o setor agrícola e madeireiro estão sofrendo com uma situação insustentável, absurda e humilhante que só quem não quer, não vê.
É indiscutível também que houve desemprego em massa e que este desemprego nos próximos meses irá criar um verdadeiro problema em matéria de segurança pública, especialmente nesta região do País.
Quando a violência estourar afetará a casa e a vida do agricultor, do madeireiro,do profissional liberal, do sindicalista, de todos enfim. A vida é igualmente preciosa para todos.Por essa razão é que faço um apelo: À você agricultor,madeireiro, pecuarista e até mesmo à você comerciante: evite dispensar funcionários, converse e explique a todos eles o que está acontecendo, certamente aqueles que trabalham para ti e não contra ti saberão entender e aceitar provisoriamente pagamentos parciais ou eventuais atrasos.
À você funcionário, trabalhe para seu patrão não contra ele, não use da justiça do trabalho para resolver questões que podem ser resolvidas com um simples diálogo.
À você caro colega advogado procure propiciar a conciliação entre patrões e empregados não incentive todo e qualquer empregado que aparecer em teu escritório a promover o ajuizamento de uma ação “milionária” para ele e para você, lembre-se da estória da “galinha dos ovos de ouro”.
E a você sindicalista a quem cabe a função primordial de usar do bom senso não pleiteie por enquanto aumentos que embora possam até ser justos, não são cabíveis no momento diante do caos econômico que está por vir para toda a cobiçada região da Amazônia legal da qual fazemos parte.
Feliz ou infelizmente vivemos na região mais rica do mundo, a mais desejada, aquela que desperta olhares gananciosos de Países muito poderosos e ricos, que é claro querem continuar mais ricos e poderosos ainda.
Sabemos que para manter suas posições eles usarão de todas as armas, especialmente da grande mídia, basta ver o quanto estão tentando denegrir a imagem do Estado do Mato Grosso, dos Matogrossenses e em especial de nosso governador Sr. Blairo Maggi, esse diga-se de passagem, um verdadeiro trabalhador que só trouxe melhorias para o nosso estado e conseqüentemente para nosso povo. São injustos, absurdos e sensacionalistas os ataques provocados por determinadas ONGs e efetivados por alguns segmentos da grande mídia.
Por isso independentemente de seu partido não aceite e muito menos permita que isto aconteça e antes de agir politicamente, aja como brasileiro, defenda quem defende os interesses do Brasil, seja ele do PPS,do PSDB, do PT, do PFL, do PL, do PMDB, do PV, do PMN ou de qualquer outro partido brasileiro.
O principal objetivo com toda essa conversa ambientalista nós sabemos, é frear o desenvolvimento econômico do País, mantendo assim um Brasil colonial e servil.
(ver matéria publicada no site www. sonoticias.com.br de autoria do Tenente Melquisedec Nascimento sob o título “Operação Curupira: a cortina de fumaça”)
Mais do que nunca precisamos nos unir, esquecer certas diferenças e lutar, lutar contra essas poderosas forças que visam exclusivamente seus interesses, por isso faço esse apelo à racionalidade, deixemos de lado pelo menos por enquanto o individualismo, usemos dos princípios de sensatez para que possamos entender que a luta não pode ser entre brasileiros, mas sim, contra o verdadeiro e quase invisível inimigo, o espírito imperialista das grandes potências que desejam a todo custo internacionalizar a Amazônia.
A quebra do setor agrícola e madeireiro em especial não interessa a nenhum brasileiro por isso apóie de alguma forma esse protesto pacífico, essa luta dos agricultores, até porque é uma luta de todos nós. Afinal, teoricamente pelo menos, ainda vivemos num País democrático onde todos tem o direito de expressar seu ponto de vista.
Mas, se os telejornais não noticiarem essa luta, a sua luta, não lhe dê o prazer de sua audiência, desligue mais cedo tua televisão especialmente na hora das telenovelas, afinal elas trazem tantos exemplos negativos que invisivelmente minam e destroem sem que percebamos toda a estrutura de valores da célula da sociedade… a família… portanto, pergunto? Para que assistí-las ? E lhe digo mais, se você ainda tem uma família, use esse tempo para começar a dialogar com ela, amanhã pode ser tarde.
Como, brasileiro, como matogrossense, faça a sua parte, haverão sempre críticas e talvez até represálias, mas, de que vale a vida se sempre nos acovardarmos diante do poder destas organizações, e digo mais, se me perguntarem o “porque” desta crise eu direi com toda a convicção…pela falta de nacionalismo e pelo excesso de individualismo que existe em cada um de nós.

Ronaldo Ceni – advogado em Sinop