segunda-feira, 26/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

UFMT sai do vermelho e alcança equilíbrio financeiro

Por Evandro Soares da Silva é reitor da UFMT
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Em 2020 o cenário encontrado no UFMT era dívidas, muitos problemas estruturais, falta de recursos e tudo isso em plena pandemia da Covid-19. Uma crise institucional e financeira sem precedentes. Foi necessário um verdadeira força-tarefa da gestão para tirar a UFMT do vermelho, o que passou por articulações políticas em busca da ampliação dos processos de captação de recursos, além do previsto no orçamento da UFMT.

Esse trabalho resultou na autorização de emendas parlamentares em um montante de aproximadamente R$ 47 milhões, executadas ou em processo de liberação, visando assegurar investimentos, que o orçamento da UFMT não contemplava.

Com os recursos externos foi possível concentrar esforços na execução das dívidas acumuladas em exercícios anteriores. Um exemplo foi a quitação integral da dívida contraída junto à concessionária de energia de Mato Grosso, concluída no meio da pandemia. Inclusive o fornecimento de energia chegou a ser suspenso por falta de pagamento. Em seguida a gestão instalou sistema de energia fotovoltaica em todos os campus, melhorando a eficiência energética e ainda investindo em sustentabilidade. 

Outra ação com vistas ao equilíbrio fiscal foi o registro das despesas não pagas no exercício de 2020 para evitar o reconhecimento de despesa dos exercícios anteriores em 2021. 

A execução de investimentos para além do orçamento incipiente da UFMT só foi possível quando se considera o recebimento outros recursos complementares, tais como a descentralização de recursos, via TED ou créditos suplementares, envolvendo projetos de grande impacto na infraestrutura, tais como: Instalação da Vigilância Monitorada da UFMT – R$ 2 milhões; conclusão do bloco 1 (administrativo e biblioteca) com Campus de Várzea Grande R$ 1,3 milhões; aquisição de equipamentos para atendimento ao Curso de Bacharelado em Ciência e Tecnologia do Campus de Várzea Grande – R$ 3,7 milhões; a realização de retrofit de sistemas de condicionadores de ar R$ 2,2 milhões e aproximadamente R$ 809 mil reais de crédito suplementar para complementar os laboratórios de pesquisa humanitas/nutrição animal.

É necessário destacar também os avanços na Fundação Uniselva que ultrapassou a marca dos 100 milhões de reais de recursos captados para a execução de projetos de ensino, pesquisa, extensão e inovação. Só no ano de 2023 a Uniselva  bateu recorde no número projetos gerenciado (mais de 500 projetos), aumentou significativamente o volume de recursos gerenciados (115 milhões) e ampliou a sua atuação como Fundação do Estado de Mato Grosso que apoia a maior parte das instituições públicas de de educação superior de Mato Grosso.

Foram momentos extremamente difíceis que necessitaram de muita resiliência, força de vontade e disposição de toda equipe gestora para tirar a UFMT do vermelho. A captação de recursos externos foi fundamental para a retomada do equilíbrio financeiro e para investimentos importantes, porém é fato que precisamos seguir adiante para conquistarmos muito mais avanços.

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...

Aqui não cabe potoca

Antigamente, lá na roça os homens, em sentido lato,...

O seu pior inimigo pode estar no seu voto

Muitas pessoas estão apenas preocupadas em mudar o mundo...