Opinião

Salve, Senador Jayme Campos

Há 70 anos, nascia o Senador Jayme Veríssimo de Campos.

E, na condição de um observador privilegiado de sua trajetória política desde 2006 até agora, vi, com meus próprios olhos, o quanto o Senador Jayme Campos contribuiu para o Brasil por meio do exercício dos seus mandatos como Senador da República.

As razões para tanto são inúmeras. No mandato anterior, foi relator protagonista de várias medidas em prol da sociedade.

Com a advocacia não foi diferente. Foi relator, apoiou, fez reuniões, encaminhou várias matérias em prol da advocacia brasileira no projeto de lei do Novo Código de Processo Civil. A OAB, na época presidida pelo Doutor Marcus Vinícius Furtado Coêlho, enxergou a grande liderança do Senador Jayme e, junto com o então Conselheiro Federal da OAB-MT, Doutor Francisco Eduardo Torres Esgaib, transformou o Gabinete do Senador Jayme Campos em uma trincheira em prol da advocacia.

E, novamente, na condição de observador privilegiado, eu vi o advogado piauiense Doutor Marcus Vinicius, homem preparado, bem formado, experimentado com o ambiente de Brasília, estender o braço e dizer:

– A partir de hoje, Senador Jayme Campos, passo a ser um soldado voluntário de toda e qualquer luta pela qual o senhor se enveredar, pois um líder e um companheiro como o senhor não se encontram em qualquer lugar ou a qualquer hora.

Viraram amigos.

Ainda no âmbito do fortalecimento da advocacia e da administração da Justiça no país, o Senador Jayme Campos foi autor da Lei nº 13.688, de 2018, que criou o Diário Eletrônico da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a fim de modernizar a publicação dos atos, decisões e notificações da entidade na internet.

E, na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal, foi relator do Projeto de Lei da Câmara nº 33, de 2013, que estipula critérios para fixação de honorários advocatícios na Justiça do Trabalho. Trata-se de pauta de amplo alcance profissional para a atuação dos advogados trabalhistas no Brasil.

No mesmo sentido, vi projetos de grande apelo social serem concebidos, serem gestados e nascerem para o bem do povo brasileiro, a exemplo:

– o direito do(a) trabalhador(a) pai/mãe de filhos com deficiência de sacar o FGTS; e

– o direito do trabalhador acidentado de entrar com o seu pedido de auxílio-acidente já com um laudo identificando a sua enfermidade e, caso o INSS não faça a perícia em 30 dias, o benefício terá de ser pago até o dia em que o INSS fizer a sua própria perícia.

Além disso, de maior importância ainda, ter sido o Senador Jayme Campos, no ano de 2015, o grande maestro em prol da derrubada de um projeto de lei que causaria prejuízos enormes ao terceiro setor, atingindo em cheio as Santas Casas de Misericórdias, Instituições de Ensino Católicas e Evangélicas, Fundações Educacionais e Hospitais Filantrópicos como um todo.

Em seu gabinete, capitaneado pela Diretoria do Mackenzie (Universidade Presbiteriana Mackenzie), pelo FONIF (Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas) e pela ANEC (Associação Nacional de Educação Católica do Brasil), esta última na pessoa da Irmã Marcia Edvirges Pereira dos Santos, do Colégio Notre Dame, beneficiou mais de 2,5 milhões de estudantes e, na área da saúde, mais de 160 milhões de pessoas são atendidas anualmente nos Hospitais ligados a instituições filantrópicas.

E, na época em que estava de folga da política – 2014/2015 – Deus incumbiu a sua esposa de assumir a prefeitura do município de Várzea Grande, e, neste momento, o ex-senador, ex-governador, ex-prefeito por três mandatos de Várzea Grande postou-se ao lado de sua esposa, prefeita Lucimar Campos, e fizeram a maior revolução já vista em um município brasileiro.

Após pegarem a administração de Várzea Grande sem um tostão no caixa, sem sistema, sem organização, um verdadeiro Iraque pós-guerra, trabalharam de sol a sol, com muito amor e dedicação, e transformaram a cidade.

A prefeita Lucimar se reelegeu em 2016, com massacrante vantagem e, para a surpresa de todos, a resposta do casal Lucimar, como prefeita, e Jayme Campos, como secretário de Assuntos Estratégicos, foi trabalho, trabalho e mais trabalho. Conseguiram se superar.

Os bons resultados também geraram frutos para além de Várzea Grande. O Senador Jayme Campos foi o grande fiador da candidatura do Governador Mauro Mendes, sendo ambos eleitos em 2018, para o bem do nosso Estado.

Esse homem de 70 anos, casado há quase 50 com a mesma mulher, utilizando o mesmo número de telefone, pai de 4 filhos e avô de 4 netos, continua a fazer o que sabe, trabalhar, acordando o sol de madrugada, com o seu guaraná ralado e seu bom humor inigualável.

E vamos orar para que o nosso Senador Jayme Campos tenha muita saúde, força e sabedoria, para que, nesta nova etapa da vida, continue com a mesma alegria, a mesma energia, para seguir lutando pelo seu querido Mato Grosso, agora, por meio de projetos de leis que viabilizem grandes obras estruturantes, como as Ferrovias.

Em 31/08/2021, na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal, o Senador Jayme Campos, ao ser informado de uma quebra de compromisso do Governo Federal no tocante ao apoio das ferrovias de que o Estado de Mato Grosso tanto precisa, o velho Pedra 90 subiu o tom e defendeu seu querido Mato Grosso em dó maior. Vejamos:

O SR. JAYME CAMPOS (Bloco Parlamentar Vanguarda/DEM-MT) – Agora não: todo mundo, já excessivamente, tem conhecimento.
Então, eu quero fazer um apelo a V. Exa., que é respeitado nesta Casa, aos demais pares aqui: nós temos que botar o quê? O que dizemos lá no Mato Grosso: botar o Rodrigo Pacheco na parede, para que ele devolva essa matéria antes de encaminhar para a Câmara. Caso contrário, é a tal da verdadeira desmoralização do Senado Federal.

(…)

O SR. JAYME CAMPOS (Bloco Parlamentar Vanguarda/DEM – MT) – Aquilo que é bom para o Brasil vai ter o apoio do cidadão Jayme Campos. E eu vou reagir.
E faço um apelo aos senhores, à sociedade brasileira, que é hoje quem realmente defende os interesses na sua plenitude. Que seja reto na sua exposição. Que não seja maria vai com as outras, a depender do vento está virando para lá… Não. Jayme Campos não veio aqui para isso. Dois mandatos, Senador Otto Alencar: um mandato de Governador e três mandatos de Senador da República. Wellington conhece a minha história. Iniciamos juntos, na década de – ele já é mais novo – 90. Eu já iniciei em 1982, com 27 anos de idade. E até hoje sobrevivo da política, pela minha coerência – pela minha coerência. E, sobretudo, é aquela velha história: para mim, o que vale é a palavra do cidadão…

(…)

O SR. JAYME CAMPOS (Bloco Parlamentar Vanguarda/DEM – MT) – … é o fio de bigode, como o meu velho pai, que morreu com noventa e tantos anos, sempre ensinou. Nove filhos de um pai e uma mãe só e dois de criação. Esse foi o grande legado que deixou para nós, era um homem respeitado, foi Prefeito, foi Vereador, foi tudo na vida.
Então, eu faço um apelo aqui aos meus caros pares: nós temos que falar com o Rodrigo Pacheco. Faço um apelo a V. Exa…

Em 01/09/2021, depois desses avisos, felizmente, o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, confirmou o compromisso com o Estado de Mato Grosso garantindo o avanço dos trilhos da Ferronorte, de Rondonópolis até Lucas do Rio Verde, passando pela nossa linda e calorosa Cuiabá.

O Senador Jayme Campos confirmou, mais uma vez, que ainda tem “café no bule” e vontade para trabalhar.

Feliz aniversário, Senador Jayme Veríssimo de Campos! Comemore essa data, Vossa Excelência merece!

Ronimárcio Naves, advogado, professor universitário, Pós-Graduado em Direito Constitucional e Direito Eleitoral pela FESMP/MT, Pós-Graduado em Processo Civil pela FD/UFMT, MBA em Agronegócio pela USP/ESALQ, Formação Executiva em Administração Judicial e Falências pelo INSPER, FGV e ESMAGIS/TJMT