Opinião

O velho normal e o novo normal

Deste momento onde tudo e todos se divergem sem saber o que é o certo ou o que é o errado, porque de repente apareceu um microscópico vírus, que mesmo diante do seu tamanho, esta provocando muitas mortes, espalhou medo e tristeza em toda a humanidade.

E, pelo medo de perder a vida, todos os setores referente, a sociedade; a economia; a politica e a cultura estão paralisadas e buscando uma nova saída, sem saber quando e como recomeçar, e com isso, passamos a desfazer dos relacionamentos do “normal velho”, que por necessidade e através modos criativos foram modificando todo tipo de relacionamentos para hoje vivermos adaptados ao “novo normal”, e que foi na verdade um frio brusco de arrumação para a sociedade.

Mudanças significativas foram desenvolvidas, como as atividades de serviço, que antes tínhamos que deslocar e agora está sento efetuados através do “home office”; até as compras que antes eram via deslocamento, onde as pessoas passavam horas e horas a escolher o que levar, e hoje para fugir da contaminação, essas compras são adquiridas através da “online”, atividades esta comerciais modificadas por necessidade, e com isso, gerando uma grande economia por não haver a necessidade de deslocamento que gerava despesas com combustíveis e também não houve mais desperdícios de tempo.

Nos relacionamento social, as rotinas foram transformadas, e as pessoas tiveram que analisar o que lhe faz sentido e o que não faz, com a chegada do “novo normal”, deixarmos o “velho normal”, que foram aulas trazidas pelo Coronavírus, nos ensinou a sociedade as novas rotinas, onde as pessoas passaram a ser mais responsáveis com as suas próprias higienes, esse vírus colocou uma norma dura e o desrespeito pode até levar a morte. Hábitos como lavar as mãos; desinfeccionar com álcool; tomar banho, e usar máscara que esconde a beleza do sorriso, mas preserva a vida.
O novo normal, com certeza nos trará uma vida diferente e mais humana, daremos mais valor a vida e faremos trocas diárias de ações carinhosas e sentimos de amor, estaremos fazendo do abraço uma transfusão de amizade e de amor ao próximo, pois a vida agora está sob o ritmos do bom viver e grande quantidade de morte, mostrou que a partida sem despedida dói muito mais, e transformou as paginas do Facebook em sequência de notas de falecimento, mas pelo texto, podemos sentir quanto essas pessoas tinha valor, pois elogios e reconhecimentos não faltaram.

Com certeza, após a partida do vírus, estaremos vivendo o “novo normal”, mas agora é hora de aprendermos, os bons sentimentos e os bons costumes, como: saber compartilhar as nossas preocupações com as pessoas internadas; ser mais solidários com aqueles que ficaram sem empregos e sem ter como alimentar; ser mais racionais e mais responsáveis com os nossos hábitos, e aprendermos a dar mais valor aos relacionamentos simples, como: fazer uma visita, apertar as mãos e dar um abraço.

Bem vindo “o novo normal”, apesar das dores por aqueles que partiram antes da hora.

Wilson Carlos Fuáh – Economista Especialista em Administração Financeira e Relações Políticas e Sociais em Mato Grosso - [email protected]