Opinião

O que levarei para 2021

Levarei lembranças saudosas de amigos que se foram, levarei ensinamentos de fraternidade, ajuda ao próximo, levarei as ações de solidariedade com moradores de rua recebendo excesso de doações e carinho, que tive o privilegio de participar com minha família.

O aprendizado da obrigação moral de respeitar o espaço alheio, de zelar pela saúde de quem nunca vi, de tampar o meu rosto por amor e cuidado e não por vergonha, de me higienizar após tocar em alguém ou em algo, sem isso ser ofensa ou preconceito.

De produzir, trabalhar, em meio a cidades desertas, e ter minha temperatura medida a cada local, e me sentir um cidadão por isso.

Entender que escolhas devem ser para benefício coletivo, e que minhas atitudes ou falta delas, repercutem na vida dos outros.

Levo para 2021 a experiência fantástica de tornar a casa todos os ambientes da rotina da família: escola, trabalho, esporte, lazer.

Levo a gratidão de estar e ter minha família com saúde.

Levo a responsabilidade da generosidade de tantas pessoas que depositaram esperanças e confiança em mim.

Levo a certeza de que ser feliz, é uma escolha.

Que nossa maior riqueza é nosso TEMPO, e que a tolerância tem que ser praticada e exercida.

Que em homenagem e honra aos amigos que nos deixaram de forma abrupta, busquemos em Deus nossa razão de viver, e encontremos a verdadeira essência da vida.

Você e eu sabemos, que a simplicidade, a humildade, a solidariedade, o perdão, são essenciais para a “nossa” felicidade.

Então, 2020 foi  uma provação, aprendizado, de tudo que Jesus nos ensina mas temos dificuldade de exercer. As vezes aprendemos nas piores circunstâncias, pois somos relapsos, muitas vezes ingratos, egoístas, o que precisamos de verdade, é abrir nosso coração e nos emocionar pelo amor.

Que 2021 sejamos diferentes, carregando o aprendizado de 2020.

Deus nos abençoe!

 

Nilson Leitão - ex-prefeito de Sinop, ex-deputado federal