Opinião

O Curupira e o PT

A Operação Curupira é um sucesso. Ela não apenas desbaratou uma quadrilha de cupins que destruía a floresta em troca de propinas dos madeireiros, como também desvendou as relações entre os predadores do meio ambiente e os dirigentes do PT em Mato Grosso.

Telefonemas gravados pela Polícia Federal mostram que os madeireiros desonestos e os predadores da floresta apoiaram financeiramente a campanha do candidato do PT à Prefeitura de Cuiabá, Alexandre César. Deixam claro também que um dos chefes da quadrilha, o gerente-geral do Ibama em Mato Grosso, Hugo Werle, funcionou como arrecadador de verbas para a campanha petista derrotada pelo atual prefeito Wilson Santos.

É comovente o empenho e a dedicação do PT na busca de fundos para a campanha de Alexandre César. A máquina administrativa do governo foi usada sem pudor, com a mobilização da gerencia regional do Ibama para garantir adesões e vender convites para eventos promovidos pelo comitê eleitoral do candidato a prefeito de Cuiabá.

A direção estadual do PT e o deputado Carlos Abicalil indicaram Werle para o Ibama em janeiro de 2003, jogaram pesado para intimidar os empresários que resistiam em contribuir para o caixa de campanha de Alexandre César. Chegou-se a dizer que, se o candidato petista a Prefeito de Cuiabá fosse derrotado, Werle seria substituído na gerencia regional do Ibama. Com medo de que o esquema criminoso de exploração da floresta pudesse ser desmantelado, os madeireiros trataram logo de ajudar na eleição. E foram generosos.

Graças à Operação Curupira, a sociedade mato-grossense pode conhecer melhor o candidato Alexandre César. Ele, que sempre posou de bom moço e se vangloriou por integrar o conselho de uma organização não governamental voltada para o meio ambiente, não teve problemas em receber generosas contribuições dos destruidores da floresta.

Ao longo da campanha eleitoral do ano passado, o povo ficou sabendo que Alexandre César havia recorrido à justiça para desalojar um casal de velhinhos de uma casa que eles haviam comprado de seu pai há mais de 10 anos. Agora, descobriu as ligações entre o candidato do PT e a quadrilha que vinha devastando as florestas do estado.

Hugo Werle, filiado do PT, está preso e foi afastado da gerência do Ibama pela ministra Marina Silva. Espera-se, agora, que o PT puna os outros envolvidos com a quadrilha que transformou o Mato Grosso no campeão nacional de desmatamento nos últimos dois anos.

A senadora Serys Marli, ao comentar as descobertas da Operação Curupira, disse que “se tem gente do nosso partido (PT) envolvido nesses acontecimentos, tem que ir para a cadeia. Não podemos admitir isso, doa a quem doer”. Vamos ver se isso é mesmo pra valer ou se, mais uma vez, o PT vai varrer a sujeira para baixo do tapete.

Quem conhece o PT já sabe que ele gosta de fazer bonito para a opinião pública, ao denunciar a corrupção nos governos alheios. Mas quando vêem os companheiros acusados, os petistas jogam pesado nos bastidores para impedir as investigações e evitar punições.

No caso Waldomiro Diniz, por exemplo, ninguém foi preso e nem punido. O PT obstruiu a investigação do assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, e está boicotando agora, a apuração das denúncias de corrupção nos correios.

Antero Paes de Barros é jornalista, radialista e senador licenciado pelo PSDB-MT
[email protected]