Opinião

Novo ano

Aproxima-se um novo ano. Todos estamos com esperanças renovadas. É momento de alegria e confraternização. Os pedidos, em geral, são para que se tenha muito dinheiro no bolso, saúde para dar e vender.

Mas será se tivermos tudo isso teremos a garantia de um ano novo cheio de felicidade? Quanto à saúde, o que normalmente ocorre é que tratamos de prejudicá-la em nome das festas. Seja com excessos na alimentação, bebidas alcoólicas, tabaco, ou outras drogas não menos prejudiciais à saúde. Não nos damos conta de que a nossa saúde depende de nós Se quisermos um ano bom, teremos que fazer a nossa parte.

Se pararmos para analisar o que significa a passagem do ano, perceberemos que nada se modifica externamente. Tudo continua sendo como na véspera. Os doentes continuam doentes, os que estão no cárcere permanecem encarcerados, os infelizes continuam os mesmos, os criminosos seguem arquitetando seus crimes, e assim por diante.

Nós e somente nós podemos construir um ano melhor, já que um feliz ano novo não se deseja, se constrói. Poderemos almejar por um ano bom, se desde agora começarmos um investimento sólido, já que no ano que se encerra tivemos os resultados dos investimentos do ano imediatamente anterior e assim sucessivamente.

Poderemos construir um ano bom a partir da nossa reforma moral, repensando os nossos valores, corrigindo os nossos passos, dando uma nova direção à nossa estrada particular. Se começarmos por modificar nossos comportamentos equivocados, certamente teremos um ano mais feliz. Se pensarmos um pouco mais nas pessoas que convivem conosco, se abrirmos os olhos para ver quanta dor nos rodeia, se colocarmos nossas mãos ao trabalho de construção de um mundo melhor, conquistaremos, um dia, a felicidade que tanto almejamos.

Só há um caminho para chegar à felicidade, e esse caminho foi mostrado por quem realmente tem autoridade, por já tê-lo trilhado, Jesus de Nazaré, o Cristo. No ensinamento “amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo” está a chave da felicidade verdadeira. Jesus nos coloca como ponto de referência, por isso recomenda que amemos o próximo como a nós mesmos nos amamos. Quem se ama preserva a saúde. Quem se ama não bombardeia o seu corpo com elementos nocivos, nem o espírito com a ira, a inveja, o ciúme, etc. Quem ama a Deus acima de todas as coisas, respeita sua criação, e suas leis. Respeita seus semelhantes, porque sabe que todos somos criados por ele e que ele a todos nos ama. “

Este texto, do Momento Espírita da FEP, nos ensina que quem quer um ano repleto de felicidade, não tem outra saída senão construí-lo. Importa que o novo período de tempo que se inicia, com tantos outros já passaram, será repleto de oportunidades. Aproveitá-las bem ou mal, depende exclusivamente de cada um de nós.

O 2006 é ano de eleições. Provavelmente, nunca tivemos um Presidente com tanta identificação com o povo, no início de mandato, quanto o Lula, e uma decepção tão grande quanto a causada pelo seu partido. Os escândalos que estão sendo apurados pelas CPIS têm nos revelados que de mocinho o Partido dos Trabalhadores tem muito pouco. Está mais para os ‘bandidos tradicionais, com os seus ‘caixas dois’, suas alianças interesseiras, compras de votos, enfim o toma lá dá cá que tantos males tem causado ao país.

O que fazer? Dar uma segunda chance, confiando que todos podem se recuperar e aprender com os erros. Ou voltar com as velhas raposas que hoje pousam de ‘santinhas’? Meditemos. Que sejamos inspirados para a melhor decisão.
Aproveitemos cada minuto deste NOVO ANO, pois logo, sem que nos demos conta, o estaremos chamando de ano passado.

Valir José Martins é administrador em Maringá (PR)