domingo, 25/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

Imigração e desenvolvimento

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A imigração é uma das questões mais complexas e controvertidas em debate nas eleições americanas tendo em vista o peso que os imigrantes e seus descendentes têm na população, na economia e em vários outros setores do país.
Em 2010 o total de imigrantes nos EUA era de 40,1 milhões de pessoas (12,1% da população total), sendo que em alguns estados este percentual é bem maior, como na California 27,2%; em New York 22,2%; New Jersey 21%%; Flórida 19,4%; Nevada 18,8%; Hawaii 18,2%, Texas 16,4%; Virgínia 11,4%. Estima-se que, apesar das medidas mais duras tomadas contra a imigração ilegal a partir do início do governo Bush, com ênfase após os atentados terroristas e a eclosao da crise econômica em 2007, que ainda existem 11,2 milhões de imigrantes ilegais no país. Em alguns anos as prisões e deportações de imigrantes ilegais chegam a mais de 350 mil pessoas.

Existe uma tendência observada ao longo das últimas três ou quatro décadas dos imigrantes legais e naturalizados votarem em candidatos do partido democrata. Nas últimas eleições Obama recebeu 67% dos votos da comunidade latina, por exemplo . Esta tendência parece que deve ser mantida nas atuais eleições, principalmente em dois estados considerados ainda indefinidos (Flórida e Virgínia) conforme apontam as últimas pesquisas mais favoráeis `a reeleição de Obama.

Em demografia existe uma teoria que afirma serem os imigrantes a parcela mais corajosa, aventureira e mais capaz, razões que explicam não apenas a decisão dessas pessoas deixarem seus lugares de origem mas também terem sucesso e vencerem toda sorte de obstáculos e desafios nos locais de destino. Pequisas realizadas ao longo de mais de um século sobre questões populacionais comprovam empiricamente esta teoria.

Outro aspecto relacionado com as questões imigratórias é a situação do local de destino em relação `a origem. Geralmente os imigrantes tem origem em regiões pouco desenvolvidas ou que apresetam dificuldades muito grandes. Quando o local de destino passa por uma fase de crescimento econômico ou outras condições favoráveis `a mobilidade social de quem decide mudar para outro país ou região. Isto também se aplica em todos os grandes deslocamentos humanos, inclusive no Brasil e em Mato Grosso, particularmente.

Enquando dura a fase de crescimento da região de destino a questão imigratória praticamente nem é percebida ou objeto de discussão, principalmente política. Todavia, quando surgem as crises econômicas e financeiras nos locais de destino, como atualmente acontece nos EUA, onde a recessão, a lenta recuperação e os índices de desemprego são elevados, imigração passa a ser objeto de debate até mesmo junto `a opiniao pública e não apenas nos meios político ou empresarial.

No caso dos EUA, nota-se que a participação dos imigrantes, legais ou ilegais, tanto em relação ao total da população quanto `a forca de trabalho tem aumentado de forma significativa nas últimas quatro décadas. Os imigrantes representavam apenas 4,8% da população Americana em 1970, tendo aumentado para 11,1% em 2000 e em 2009 chegou a 12,5% e para 2030 as projeções indicam 16,0%.

Já a participação dos imigrantes na força de trabalho é um pouco maior: em 1970 era de 5,3%, em 2000 passou para 12,5% chegando a 16,7% em 2009 e as projecões para 2030 é que devem ser de 22,0%. Em alguns estados, principalmente nos já mencionados anteriormente, esses percentuais são bem maiores. O mesmo acontece com algumas faixas de idade. Em 2010 a participação dos imigrantes na força de trabalho na faixa etária de 30 a 40 anos era de 21% e na faixa de 40 a 45 era de 19% e esta tendência deve ser mantida ou até aumentado nas próximas décadas, tendo em vista o envelhecimento da população não imigrante, aliada a baixas taxas de natalidade da populaçao branca e negra e a taxas de natalidade maiores entre imigrantes latinos e asiáticos.

Muita gente imagina que os imigrantes sejam um peso econômico e social para os EUA, mas inúmeros estudos apontam que isto não é totalmente verdadeiro e que a contribuição dos imigrantes e seus descendentes é muito grande para o país que ainda tem estrutura social bastanteaberta e permeável possibilitando a mobilidade e ascensão social, enfim, a integração desses grupos considerados minoritários na sociedade em geral.
Voltarei ao tema oportunamente com outros dados e reflexões.

Juacy da Silva, professor universitário, mestre em sociologia, atualmente morando nos EUA e colaboador de Só Notícias, mail [email protected]

 

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...

Aqui não cabe potoca

Antigamente, lá na roça os homens, em sentido lato,...

O seu pior inimigo pode estar no seu voto

Muitas pessoas estão apenas preocupadas em mudar o mundo...