Opinião

Desarmamento: a quem interessa ?

A historia nos relata, que todos os grandes ditadores deste planeta, em uma de suas primeiras providencias, foram o desarmamento da população civil, Hitler foi um deles.
No Brasil estamos assistindo pela mídia, um desarmamento em massa, da população civil, um grande equívoco, que terá fortes reflexos em um futuro bem próximo.
. A onda do desarmamento teve inicio com apresentação de um projeto de lei, no Congresso Nacional, de um deputado do PT de São Paulo, por mera coincidência esse deputado é o advogado do MST, com a finalidade, segundo o parlamentar diminuir a criminalidade no país, em torno de 40.000 mortes por ano.

A ONG, VIVA RIO, de Ipanema, Rio de Janeiro, encabeçou este movimento com várias manifestações, passeatas e distribuição de camisetas, com um forte loby na imprensa, principalmente na TV Globo, alegando um grande número de mortes por armas de fogo, com balas perdidas, acidentes de transito, em que um motorista armado, pode matar outro, se levar uma fechada ou morte de uma criança que pegou a arma do pai e matou um amiguinho, mas, nos morros cariocas a ONG VIVA RIO não foi solicitar dos bandidos que entreguem suas armas.
O problema das mortes por arma de fogo não esta nestes fatos alegados, o que pega mesmo, são as mortes executadas por bandidos assaltantes, mortes executadas pelo crime organizado e os famosos acertos de contas do trafego de drogas.
Todos nos sabemos que arma nenhuma nós dá segurança, mas uma arma em casa ou no veículo, em uma longa viagem nós da uma sensação de estarmos mais seguros, agora os bandidos sabendo que não existira mais armas nas residências, nas lojas com comerciantes ou com os motoristas é simplesmente um sinal verde para atuação tranqüila dos bandidos.
O desarmamento causará muitos problemas, principalmente com mais um grande número de pessoas desempregadas, pelas ruas das cidades, com a desativação do setor, fabricas e comercio de armas de fogo e o contrabando de armas será um grande negocio, porque o Brasil tem uma enorme fronteira seca, e todos os paises vizinhos vendem armas dos mais variados calibres e na quantidade que o cliente desejar e não tem como segurar isso, por outro lado os bandidos não serão desarmados, mesmo, sempre acharão um jeito, de conseguir suas armas, apenas ficarão mais ousados e tranqüilos para agir e por mais eficiente que venha ser o sistema repressor do Estado não terá sucesso completo nesta tarefa.
Então para quem interessa o desarmamento da população civil brasileira?

Américo Gomes é jornalista e professor
[email protected]