sexta-feira, 23/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

Crianças que roncam podem ter complicações durante a formação

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Trabalhos científicos mostram que entre crianças respiradoras nasais, as alterações ortodônticas (maxila, mandíbula e oclusão dentária) ocorrem em aproximadamente 25% dos casos. Enquanto que entre os respiradores orais, os problemas podem atingir sete em cada 10 crianças.

Estes pacientes, que erroneamente respiram pela boca, geralmente roncam e têm má qualidade no sono. Quando presente nas crianças e não tratadas corretamente a tempo, entre as várias possibilidades de complicações, destacam-se as alterações ortodônticas.

A respiração nasal fisiológica (normal) prepara o ar inspirado, umidificando e filtrando. Quando deficiente, como nestes pacientes, facilitam infecções das vias aéreas.

Entre as principais causas da respiração oral na criança, estão a hipertrofia (aumento) das amígdalas palatinas, hipertrofia das adenoides, desvio do septo nasal e rinites alérgicas.

A respiração bucal dificulta o adequado posicionamento da língua e a deglutição dos alimentos. Estas alterações funcionais juntamente com a falta da passagem aérea pelas fossas nasais (nariz) quando permanecem por tempo prolongado, durante o desenvolvimento da criança, propiciam alterações no desenvolvimento dos ossos da face e dos dentes.

Por isso defendo que é importante o correto diagnóstico e tratamento destas crianças, o mais cedo possível, visando impedir o impacto negativo das complicações. Além disso, criança que ronca constantemente, não tem qualidade de sono, pode estar com sua qualidade de vida sendo comprometida.

Nesta quinta-feira (16) vou ministrar aula de interação desta área com a ortodontia, nos respiradores bucais na infância, durante 13° Congresso da Fundação Otorrino, que vai de 15 a 18 de agosto em Campos do Jordão, São Paulo.

Pretendo dividir meu conhecimento e aprender um pouco mais com os colegas que lá vão estar. Esse congresso deve ter a presença de aproximadamente 2,5 mil especialistas.

Milton Malheiros é médico otorrinolaringologista em Sinop

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias

Não é apenas água que falta em Várzea Grande!

Se você mora em Várzea Grande ou tem um...

Somos idealizadores de objetivos

Ao comprometermos com algo infinitamente superior as nossas forças,...

Aqui não cabe potoca

Antigamente, lá na roça os homens, em sentido lato,...

O seu pior inimigo pode estar no seu voto

Muitas pessoas estão apenas preocupadas em mudar o mundo...