Opinião

As crises são passageiras

Tudo aquilo que leva ao crescimento, seja ele qual for, é motivo de grande respeito, mas a maioria das pessoas troca a lucidez, pelo estado de irritabilidade, intolerância e medo de decidir, a realidade é que temos que vencer a nós mesmo toda hora e todo dia, pois em toda a nossa formação traz algumas imperfeições, e às vezes essas imperfeições às vezes pode até dominar as nossas ações.
 Os conflitos das perdas e fracassos, às vezes estão a testar a nossa capacidade de entender o que é a escuridão da noite, pois para aqueles que creem, a noite ao completar o seu ciclo, falece diante de um novo dia, e este traz a luz do passado para iluminar os novos caminhos a espera das ações futuras, suavizando os nossos passos e abrindo novos horizontes, nos fortificando para visualizar a melhor caminho para vencer novos obstáculos e a nós mesmo.

Ao sair do casulo, e ao dar os primeiros passos começamos a travar grandes batalhas contra o comodismo, sair da zona de conforto em busca de novos desafios deixando os caminhos imaginários, para assumir a batalha corpo a corpo com os nossos ideais, e estar atendo aos sinais da vida que são os ensinamentos que surgem de onde menos se espera, o importante é estar em constante equilíbrio e a ter mais confiança em nossos objetivos, só assim os desafios serão minimizados pela fé que nos traz a certeza de que nascemos para ser um vencedor.

Cada pessoa é inteiramente responsável pelas suas próprias atitudes e as nossas missões estão sempre a nos esperar, e enquanto estivermos vivos é porque ainda temos planos e projetos a serem construídos, não devemos deixar as tentações de deixar que opiniões externas interfiram em nossos pactos existências, pois cabe a cada um de nós escrevermos a nossa própria história. 
 O grande dilema é que as pessoas vivem acreditando em sorte e azar, mas em resumo, é que nesta sociedade muito estão a espera de mundo melhor usando seus objetivos em forma de cópia da sorte de alguém, muito fazem pouco e são pouco que fazem muito, por isso é que pouco são os vencedores.

O importante sair dos caminhos imaginários e observar mais nossas próprias atitudes, porque elas são as responsáveis pelos nossos sucessos e fazem parte do nosso inventário pessoal e depois de várias reflexões, é só tomar a decisão acertada, porque a sorte só existe para aquele ousam e para aqueles que são competentes, determinados e empreendedores, sabendo fazer das conquistas o prazer do seu viver.

Wilson Carlos Fuáh – Economista Especialista em Administração Financeira e Relações Políticas e Sociais em Mato Grosso - [email protected]